Economia BC decide hoje se mantém taxa de juros no menor patamar da história

BC decide hoje se mantém taxa de juros no menor patamar da história

Expectativas do mercado financeiro apontam para a segunda manutenção consecutiva da Selic em 2% ao ano

Selic para os próximos 45 dias será anunciada às 18h30

Selic para os próximos 45 dias será anunciada às 18h30

Pixabay

O Copom (Comitê de Política Monetária) do BC (Banco Central) decide nesta quarta-feira (9) se vai manter a taxa básica de juros da economia brasileira, a Selic, em 2% ao ano, menor patamar da história.

O veredito a respeito dos novos juros básicos será anunciado após as 18h30. A decisão valerá ao menos pelos próximos 45 dias, quando os diretores do BC voltam a se encontrar para discutir novamente a conjuntura econômica nacional.

No último encontro, quando a taxa básica de juros foi mantida em 2% ao ano, o Copom afirmou que "a forte retomada em alguns setores produtivos parece sofrer alguma desaceleração" e destacou que os indicadores sugerem uma recuperação desigual.

Leia mais: Entenda como a redução da Selic impacta seus investimentos

As reduções dos juros foram acentuadas após o mês de fevereiro com a intenção de conter os efeitos da pandemia do novo coronavírus na economia nacional e chegou ao patamar de 2% ao ano em agosto. As expectativas do mercado financeiro apontam para a segunda manutenção seguida da Selic.

Ontem, os chefes de departamento do BC apresentaram dados sobre a inflação, o nível de atividade econômica, finanças públicas, economia internacional, câmbio, reservas internacionais e mercado monetário.

Agora, participam da reunião os diretores e o presidente do BC.  Eles análisam as perspectivas para a inflação e os reflexos da decisão antes de definir a nova taxa básica. Após a revelação, o BC divulga a ata da reunião na terça-feira da semana que vem (15), com as explicações mais detalhadas sobre o veredito.

Juros básicos

A Selic é conhecida como taxa básica porque é a mais baixa da economia e funciona como forma de piso para os demais juros cobrados no mercado. A taxa é usada nos empréstimos entre bancos e nas aplicações que as instituições financeiras fazem em títulos públicos federais.

Em linhas gerais, a Selic é taxa que os bancos pagam para pegar dinheiro no mercado e repassá-lo para empresas ou consumidores em forma de empréstimos ou financiamentos. Por esse motivo, os juros que os bancos cobram dos consumidores são sempre superiores à Selic.

A taxa básica também serve como o principal instrumento do BC para manter a inflação sob controle, próxima da meta estabelecida pelo governo. Isso acontece porque os juros mais altos encarecem o crédito, reduzem a disposição para consumir e estimulam novas alternativas de investimento.

Quando o Copom aumenta a Selic, o objetivo é conter a demanda aquecida e isso causa reflexos nos preços, porque os juros mais altos encarecem o crédito e estimulam a poupança. Já quando o Copom reduz os juros básicos, a tendência é que o crédito fique mais barato, com incentivo à produção e ao consumo.

Últimas