BC do Japão vê danos econômicos mais profundos mesmo após afrouxamento de emergência

Por Leika Kihara

TÓQUIO (Reuters) - A pandemia de coronavírus pode mergulhar o Japão em profunda estagnação econômica, alertaram os membros do banco central do país numa reunião de emergência de política monetária da semana passada, com um deles vendo espaço para mais estímulos, mostrou a ata de sua reunião nesta quarta-feira.

O Banco do Japão expandiu o estímulo monetário em uma reunião não programada em 16 de março para aliviar as tensões de financiamento corporativo e acalmar os mercados financeiros abalados pela crise da saúde.

Um resumo das opiniões dadas na revisão de juros da semana passada mostrou a profunda preocupação compartilhada entre os nove membros do comitê sobre o enorme golpe que o surto de vírus pode infligir à economia, já sofrendo com o aumento do imposto sobre vendas do ano passado.

"A economia do Japão pode continuar estagnada mesmo após a recuperação das economias estrangeiras, já que o impacto do vírus pode ser enorme", disse um membro do comitê, segundo a ata.

"Eu duvido que a economia do Japão sofrerá uma forte recuperação assim que o vírus for contido", mostrou outra opinião no documento.

Um membro do comitê disse que o banco central pode continuar a responder de maneira flexível aos riscos, por meio de medidas como outra reunião de política monetária de emergência ou aumento das compras de títulos do governo, à medida que os temores da recessão aumentam, mostrou a ata.

A ata, geralmente divulgada cerca de uma semana após a reunião do Banco do Japão, não divulga a identidade do membro que fez os comentários.

A pandemia tornou-se uma crise econômica global com restrições de viagens, cancelamentos de eventos e interrupções na cadeia de suprimentos, aumentando a chance de o Japão entrar em recessão, mantendo as autoridades sob pressão para implantar um grande estímulo fiscal e monetário.