Economia Bitcoin a US$100 mil em 2021? Absurdo para alguns, inevitável para outros

Bitcoin a US$100 mil em 2021? Absurdo para alguns, inevitável para outros

CRYPTO-BITCOIN-2021:Bitcoin a US$100 mil em 2021? Absurdo para alguns, inevitável para outros

Reuters - Economia

Por Gertrude Chavez-Dreyfuss

NOVA YORK (Reuters) - Investidores de bitcoin, que incluem importantes hedge funds e gestores, estão apostando que o valor da moeda virtual pode mais do que quintuplicar, chegando a 100 mil dólares dentro de um ano.

É uma aposta que atraiu o olhar dos céticos que acreditam que a volátil criptomoeda é um ativo especulativo, e não uma reserva de valor como o ouro.

Desde janeiro, o bitcoin valorizou-se cerca de 160%, impulsionado pela forte demanda institucional, bem como pela escassez, pois empresas de pagamento como Square e Paypal compram em nome de seus clientes.

O bitcoin era negociado nesta terça-feira a quase 19.300 dólares, pouco abaixo de sua máxima histórica.

Ir de 18.000 para 100.000 dólares em um ano não é um exagero, disse Brian Estes, diretor de investimentos do hedge fund Off the Chain Capital.

"Eu vi o bitcoin subir 10, 20, 30 vezes em um ano. Portanto, subir cinco vezes não é grande coisa."

O analista técnico do Citi, Tom Fitzpatrick, disse em nota na semana passada que o bitcoin pode chegar a 318 mil dólares até o final do ano que vem, citando sua oferta limitada, facilidade na sua movimentação internacional e propriedade opaca.

Esses números, no entanto, são incômodos para Kevin Muir, um corretor independente de Toronto.

"Qualquer modelo de hedge fund para bitcoin é uma bobagem. Você não pode modelar uma mania", disse Muir. "É plausível? Com certeza. Mas alguém realmente tem uma pista sobre isso? Sem chance."

O corretor de câmbio da Tempus Inc, Juan Perez, ficou chocado com todas as previsões elevadas e disse que uma aposta que o bitcoin atinja 100 mil dólares no próximo ano seria uma aposta no colapso do sistema financeiro global.

"Os governos de todo o mundo não permitirão que isso aconteça. Não permitirão que as moedas fiduciárias entrem em colapso assim", disse Perez.

Últimas