Coronavírus

Economia Bolsa brasileira despenca 19% e se aproxima de terceira paralisação 

Bolsa brasileira despenca 19% e se aproxima de terceira paralisação 

Às 13h35, os papéis caíam 19,16%, a 68.852 pontos; desde a abertura do pregão, às 10h, foram dois circuit breakers

  • Economia | Marcos Rogério Lopes, do R7

Bolsa se aproxima de paralisação histórica

Bolsa se aproxima de paralisação histórica

Paulo Whitaker/Reuters - 24.8.2015

A Bolsa de Valores de São Paulo despenca mais de 18% no início da tarde desta desta quinta-feira (12) e se aproxima da terceira paralisação do dia, o que levaria ao adiamento das operações por tempo indeterminado. Às 13h35, os papéis caíam 19,16%, a 68.852 pontos.

Desde a abertura do pregão, às 10h, foram dois circuit breakers. Entre as ações que puxaram a queda da Bolsa de São Paulo estão as das companhias aéreas. Os papéis da Gol apresentavam desvalorização de 36,7% às 13h17.

Mais cedo, as empresas Azul e Latam anunciaram redução de 30% dos voos internacionais.

A paralisação das operações ocorre sempre que as negóciações caem exageradamente. Às 10h21, o índice Ibovespa caía 11,65%, com 75.247 pontos, o que fez a B3, administradora da bolsa, suspender as operações por 30 minutos. Às 11h14, o Ibovespa chegou aos 72.026,68 pontos, com uma baixa de 15,43% no valor das ações.

Circuit breaker, um puxão de orelha que costuma funcionar na Bolsa

A queda nas ações ocorre por causa do temor mundial com o novo coronavírus, que fez quarta-feira (11) o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, suspender os voos da Europa para o país, e a liga de basquete norte-americana (NBA), interromper seus jogos.

Últimas