Economia Bolsa de valores abre em alta na manhã desta terça-feira

Bolsa de valores abre em alta na manhã desta terça-feira

Ibovespa, principal indicador acionário do mercado nacional, subia 0,24%, a 103.689,91 pontos, nos primeiros negócios do dia

  • Economia | Do R7, com Reuters

Bolsa começa o dia em alta

Bolsa começa o dia em alta

Amanda Perobelli/Reuters

A bolsa de valores abriu em alta na manhã desta terça-feira (11). Às 10h08, o Ibovespa, principal indicador acionário do mercado nacional, subia 0,24%, a 103.689,91 pontos, favorecido pela melhora do apetite a risco global, em meio ao anúncio da Rússia sobre vacina contra a covid-19 e apostas de mais estímulos econômicos nos Estados Unidos.

Leia mais: Confira 7 dicas para diversificar sua carteira de investimentos

"O dia está amanhecendo com mais um movimento de 'risk-on' generalizado, com bolsas em alta, dólar fraco, commodities metálicas não preciosas em alta e metais preciosos em queda", observou o estrategista Dan Kawa, da TAG Investimentos.

Ele destacou em comentários a clientes que o destaque da manhã é a notícia de que a Rússia teria aprovado a primeira vacina contra o novo coronavírus e já estaria vacinando a sua população.

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, disse nesta terça-feira que o país tornou-se o primeiro do mundo a dar aprovação regulatória para uma vacina contra a covid-19 depois de menos de dois meses de testes em humanos.

A OMS (Organização Mundial da Saúde) disse que está discutindo com autoridades de saúde da Rússia o processo para uma possível pré-qualificação pela OMS da vacina.

O chefe do fundo soberano da Rússia, Kirill Dmitriev, disse que a vacina será produzida no Brasil e a fabricação dela na América Latina começará em novembro, desde que obtida aprovação regulatória.

Nos EUA, os futuros acionários avançavam com esperanças de um acordo sobre ajuda federal para os 30 milhões de norte-americanos desempregados.

O presidente norte-americano, Donald Trump, escreveu no Twitter que os principais democratas do Congresso querem se reunir com ele para discutir estímulos, após negociações entre democratas e Trump não avançarem na semana passada.

Do lado das commodities, os futuros de referência do minério de ferro na bolsa chinesa de Dalian fecharam em alta, mesmo viés adotado pelos preços do petróleo.

Investidores do mercado brasileiro também analisam a ata da última reunião do Copom, na qual o Banco Central reduziu a Selic a 2%. No documento, o BC disse que a Selic está perto do limite e novos cortes podem ser temporalmente espaçados.

Da temporada de balanços, BTG Pactual divulgou mais cedo queda de 4,1% no lucro líquido recorrente do segundo trimestre em relação ao mesmo período do ano anterior, para R$ 987 milhões.

Na noite da véspera, a Cosan reportou prejuízo de R$ 174,4 milhões no segundo trimestre, revertendo lucro de um ano antes; e Itaúsa mostrou queda de 75,4% no lucro, a R$ 598 milhões.

O pregão paulista ainda deve ser influenciado por operações relacionadas ao vencimento do contrato do Ibovespa de agosto na quarta-feira.

O dólar perdia força contra o real logo após a abertura desta terça-feira (11), devolvendo alguns de seus ganhos recentes, enquanto os investidores digeriam a ata do Banco Central sobre a última decisão de juros e sinalizações sobre o futuro da política monetária no Brasil.

Às 9h09, o dólar recuava 0,36%, a R$ 5,4452 na venda. O dólar futuro negociado na B3 tinha queda de 0,69%, a R$ 5,449.

Últimas