Bolsas europeias fecham em mínima de 8 meses após preços do petróleo despencarem

Por Ambar Warrick e Sruthi Shankar

(Reuters) - As ações europeias terminaram em uma mínima de oito meses nesta segunda-feira, afundando a território baixista depois que uma queda expressiva nos preços do petróleo aprofundou as preocupações de que uma recessão global possa se seguir ao surto de coronavírus.

O subíndice de petróleo e gás sofreu as maiores perdas, com uma queda de quase 17% depois que os preços do petróleo perderam um terço de seu valor devido às preocupações com a guerra de preços entre a Arábia Saudita e a Rússia. [O/R]

O índice FTSEurofirst 300 caiu 7,59%, a 1.324 pontos, enquanto o índice pan-europeu STOXX 600 perdeu 7,44%, a 340 pontos, pior dia desde a crise financeira de 2008 e 2009.

A queda significou uma virada para um território baixista, implicando uma queda de mais de 20% do índice em relação a seus picos recentes.

As empresas europeias perderam agora quase 3 trilhões de dólares em valor desde que a rápida disseminação do coronavírus provocou uma liquidação mundial em fevereiro, conforme o surto parece poder perturbar a atividade econômica em todo o mundo.

"O choque no petróleo agrava o que o coronavírus está fazendo com a economia global", disse Andrea Cicione, chefe de estratégia da TS Lombard.

Em LONDRES, o índice Financial Times recuou 7,69%, a 5.965 pontos.

Em FRANKFURT, o índice DAX caiu 7,94%, a 10.625 pontos.

Em PARIS, o índice CAC-40 perdeu 8,39%, a 4.707 pontos.

Em MILÃO, o índice Ftse/Mib teve desvalorização de 1,17%, a 18.475 pontos.

Em MADRI, o índice Ibex-35 registrou baixa de 7,96%, a 7.708 pontos.

Em LISBOA, o índice PSI20 desvalorizou-se 8,66%, a 4.266 pontos.