Economia Bolsonaro vai a Manaus e participa de reunião da Zona Franca

Bolsonaro vai a Manaus e participa de reunião da Zona Franca

Serão analisados 88 projetos industriais, sendo 26 novos e 62 para ampliação, que somam US$ 626,917 milhões em investimentos em três anos

Bolsonaro participa de reunião do conselho da Zona Franca

Bolsonaro participa de reunião do conselho da Zona Franca

FáTIMA MEIRA/FUTURA PRESS/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

O presidente Jair Bolsonaro viaja nesta quinta-feira a Manaus para participar da primeira reunião do conselho de administração da Superintendência da Zona Franca de Manaus de seu governo.

O presidente acompanhará o ministro Paulo Guedes, presidente do conselho, na reunião na capital amazonense.

Leia também: Bolsonaro diz que liberação do FGTS é medida emergencial

Serão analisados 88 projetos industriais, sendo 26 novos e 62 para ampliação, que somam US$ 626,917 milhões em investimentos em três anos, segundo o Ministério da Economia.

A expectativa é gerar 3.545 novos postos de trabalho e um faturamento de US$ 3 605 bilhões nesse mesmo período. Também serão avaliadas alterações em marcos regulatórios para acelerar a tramitação de implantação de projetos industriais e agropecuários.

Entre os projetos está a abertura da Yellow Indústria, para produção de patinetes e bicicletas elétricas. O investimento previsto no projeto é de US$ 12 milhões, com a geração de 206 empregos. Também será analisado o projeto de implantação da Empresa de Plástico do Amazonas, fábrica de resinas plásticas. O investimento previsto é de US$ 50 milhões e a expectativa é que o empreendimento gere 182 novos empregos.

Serão analisadas ainda propostas de ampliação da Flex Máquinas e Motores, para fabricação de modens com investimentos de US$ 12 milhões e da Bridge Indústria de Produtos Plásticos, para fabricação de laminados plásticos com investimento de US$ 30 milhões.

Empresários da região e representantes da superintendência têm reclamado de projetos parados por falta de reunião do conselho de administração. Os projetos dependem de aprovação do conselho, que, segundo alguns, ainda não havia se reunido por falta de espaço na agenda de Guedes.