Brasil precisará de 'credibilidade' para manter crescimento, diz BC

Roberto Campos Neto disse estar otimista e afirmou ver o "início de uma recuperação em V", mas prevê uma suavização nos próximos

Campos Neto: 'Recuperação ainda não é em V total'

Campos Neto: 'Recuperação ainda não é em V total'

Pedro França/Agência Senado - 26.2.2019

O presidente do BC (Banco Central), Roberto Campos Neto, afirmou nesta segunda-feira (24) que a economia brasileira terá um impulso grande até dezembro, sob o impacto do auxílio emergencial, do crescimento do crédito e de outras medidas de enfrentamento à crise tomadas pelo governo, e que o país precisará de credibilidade para manter o ritmo favorável daí em diante.

"Quando a gente olha medidas de crédito e mais as medidas que foram feitas em termos de auxílio emergencial e as outras que eu descrevi, a gente consegue ver um impulso grande indo até dezembro. O que a gente precisa agora ao longo desse caminho é ganhar credibilidade para que a economia pegue no tranco e a gente gere esse movimento positivo a partir de dezembro", afirmou Campos Neto.

Leia também: BC amplia circulação de dinheiro a nível recorde

O presidente do BC disse estar "otimista" com a perspectiva para a recuperação da economia após os efeitos da pandemia do novo coronavírus , ressaltando que o mercado tem revisado para melhor suas projeções para o desempenho do país neste ano.

"A gente entende que grande parte dessa revisão não está sendo acompanhada de uma subtração do ano que vem, significa que a perspectiva de médio prazo está melhor", disse ele em evento do jornal O Estado de S.Paulo.

"Nós vemos o início de uma recuperação em V, acho que não dá para dizer que é uma recuperação em V total, provavelmente esse V vai suavizar."