Economia Brasileiro não guarda dinheiro para fazer poupança, mas para gastar ainda mais

Brasileiro não guarda dinheiro para fazer poupança, mas para gastar ainda mais

Levantamento do SPC aponta que investidor nacional tem perfil conservador

Brasileiro economiza dinheiro para gastar ainda mais, aponta estudo

Segundo a pesquisa, 54% dos entrevistados não conseguem poupar dinheiro

Segundo a pesquisa, 54% dos entrevistados não conseguem poupar dinheiro

Thinkstock

O consumidor brasileiro não tem o hábito de poupar dinheiro e, quando economiza, é para gastar. As informações são de um estudo encomendado pelo SPC (Serviço de Proteção ao Crédito) e divulgado nesta terça-feira (11).

A pesquisa ainda revela que os investidores brasileiros têm um perfil conservador e preferem investimentos mais seguros, como a caderneta de poupança.

Os pesquisadores perguntaram a um grupo de consumidores quantos deles conseguiram poupar alguma quantia no mês anterior: 54% disseram que não conseguem guardar qualquer quantia; 42% disseram que conseguiram juntar alguma coisa; e 3% não souberam responder.

O que você faz com a grana que sobra no final do mês?

Para a economista do SPC Brasil, Luiza Rodrigues, o brasileiro é historicamente conhecido por poupar pouco.

— Os motivos que fazem com que o brasileiro tenha uma das menores taxas de poupança do mundo são culturais. Na China, por exemplo, a taxa de poupança é mais que o dobro da [taxa] brasileira. O chinês poupa 30% do seu salário.

Salário maior

A pesquisa ainda questionou o que fariam os brasileiros se recebessem um salário cinco vezes maior.

Nesta situação hipotética, a maior parte dos consumidores (68%) disse que gastaria o valor reformando a casa, comprando um carro ou fazendo uma viagem.

As possibilidades de respostas eram múltiplas, mas só 49% disseram que aplicariam o dinheiro. Já 45% dos entrevistados disseram que quitariam dívidas, enquanto 22% investiriam em algum empreendimento. Outros 9% ajudariam parentes e amigos.

Na avaliação de Luiza Rodrigues, este tipo de comportamento pode ser parcialmente explicado pelas seguranças assistencial, trabalhista e previdenciária que o Brasil oferece à população.

— Esses recursos contribuem para que o brasileiro se sinta mais seguro e se preocupe menos em economizar para uma emergência.

Investimentos

Já na hora de fazer investimentos, a maioria dos consumidores brasileiros apresenta perfis conservadores.

De acordo com o estudo do SPC Brasil, a maioria dos brasileiros (66%) não quer correr riscos e, por isso, procura investimentos seguros, como a caderneta de poupança.

Um percentual bem menor, de 16%, disse que aceitaria correr algum tipo de risco e somente 3% disseram estar dispostos a fazer um investimento mais arriscado.

Leia mais notícias de Economia    

Veja as notícias do R7 na palma da mão. Assine o R7 Torpedo