Economia Cai confiança de consumidores e comerciantes na melhora da economia

Cai confiança de consumidores e comerciantes na melhora da economia

Índice da FGV revela que confiança do comércio caiu pela 4ª vez consecutiva

Reuters
Índice de confiança voltou ao nível de janeiro

Índice de confiança voltou ao nível de janeiro

10.01.2017/REUTERS/Paulo Whitaker

A confiança do comércio brasileiro recuou em agosto pela quarta vez consecutiva e foi ao menor nível desde janeiro, uma vez que a incerteza ainda prevalece sobre o setor, apontaram dados da FGV (Fundação Getulio Vargas) divulgados nesta sexta-feira (25).

O Índice de Confiança do Comércio (Icom) do Brasil teve em agosto queda de 1 ponto, atingindo 82,4 pontos.

"Enquanto na indústria a crise política deflagrada em maio parece coisa do passado, entre consumidores e no comércio o efeito do aumento da incerteza ainda causa preocupação e afeta a confiança", disse o superintendente de Estatísticas Públicas da FGV/IBRE, Aloisio Campelo Jr, em nota.

Apesar da inflação e da taxa de juros baixos, Campelo destacou que, depois do período de liberação de recursos de contas inativas do FGTS, o comércio aguarda novas notícias que deem mais segurança sobre sustentabilidade da recuperação econômica.

Em agosto, 9 dos 13 segmentos pesquisados apresentaram queda, com piora tanto das expectativas quanto das avaliações sobre a situação atual.

O Índice da Situação Atual (ISA-COM) recuou 1,8 ponto, para 77,4 pontos, menor nível desde março; enquanto o Índice de Expectativas (IE-COM) cedeu 0,3 ponto, para 88,1 pontos, mínima desde julho de 2016.

Nesta semana, a FGV informou que a prévia do Índice de Confiança da Indústria (ICI) apontou melhora pelo segundo mês seguido em agosto, porém dados nesta sexta-feira mostraram que a confiança do consumidor também caiu ao menor nível desde janeiro, uma vez que os consumidores permaneceram cautelosos diante do desemprego elevado.

Últimas