Caixa afirma que 3,5 milhões ainda não sacaram auxílio emergencial 

Dos 50 milhões aprovados para receber o benefício até agora, 94% já receberam o dinheiro e 6% continuam com o valor parado no banco

 O presidente da Caixa Econômica Federal (CEF), Pedro Guimarães

O presidente da Caixa Econômica Federal (CEF), Pedro Guimarães

EDU ANDRADE/FATOPRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

O presidente da Caixa, Pedro Guimarães, afirmou nesta segunda-feira (11), durante audiência pública remota em comissão do Senado Federal, que 3,5 milhões de pessoas ainda não sacaram a primeira parcela do auxílio emergencial de R$ 600

Leia também: Saiba como acompanhar o processo de aprovação do auxílio

"Dos 50 milhões aprovados para receber o benefício, 94% já receberam o dinheiro e 6% continuam com o valor no banco por algum motivo", afirmou Guimarães. Esses 6% correspondem a cerca de 3,5 milhões de beneficiários que não sacaram a grana.

Uma explicação para esse problema pode estar no número de pessoas que não sabem mexer no aplicativo Caixa Tem, que faz a transferência e saque do dinheiro. Segundo Guimarães, cerca de 7 milhões não conseguem mexer no aplicativo sozinhos, não têm acesso e precisam de ajuda. "Fazer o pagamento de pessoas mais carentes, com a preservação da vida dos funcionários e de todos os brasileiros, é a principal equação que a Caixa tenta resolver."

Desde o dia 9 de abril, quando teve o início o pagamento, R$ 35,5 bilhões foram creditados para 50 milhões de pessoas. De acordo com o banco, 94% dos beneficiários já fizeram algum tipo de movimentação.

Guimarães também afirmou que a Caixa deve pagar a primeira parcela para novos CPFs analisados pela Dataprev nesta semana. Segundo estimativa do Ministério da Cidadania, serão mais 8 milhões de trabalhadores informais, dos 17 milhões de CPFs avaliados até a última sexta-feira (8). O governo federal deve anunciar, também nesta semana, o calendário da segunda parcela do benefício.