Economia Caixa começa a cobrar taxas mais baixas para crédito imobiliário

Caixa começa a cobrar taxas mais baixas para crédito imobiliário

Redução passa a valer a partir desta segunda-feira (14). Confira os menores juros ofertados por seis bancos em linhas para compra da casa própria

Queda na Selic motivou redução de taxas

Queda na Selic motivou redução de taxas

MARCELO D. SANTS/FRAMEPHOTO/ESTADÃO CONTEÚDO

A redução de até um ponto porcentual das taxas de juros para financiamentos imobiliários da Caixa, com recursos do SBPE (Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo), começa a valer a partir desta segunda-feira (14).

A menor taxa de juros passará de 8,5% mais a TR (Taxa Referencial) para 7,5% mais a TR.

Nas últimas semanas, além da Caixa, outros cinco bancos anunciaram a redução de suas taxas para o financiamento imobiliário: Banco do Brasil, Bradesco, Itaú Unibanco, Santander e Banco Inter.

O juro menor, de 7,30% ao ano mais TR (Taxa Referencial), é oferecido pelo Bradesco. O maior, de 7,99% ao ano + TR, pelo Santander. O prazo de financiamento é de 360 meses (30 anos) a 420 meses (35 anos).

Leia também: Posso sacar o FGTS para dar entrada no financiamento de um carro?

A pedido do R7, a Melhortaxa, startup que auxilia na busca por juros mais adequados, fez uma simulação de financiamento com a menor (7,30%) e maior (7,99%) taxa.

Imóvel de R$ 200 mil

Em um financiamento de um imóvel de R$ 200 mil em 360 meses, considerando uma renda familiar de R$ 6,5 mil, com a taxa de 7,30%, o valor da primeira parcela seria de R$ 1.820,88 e a última, de R$ 609,43.

O mesmo exemplo, com a taxa de 7,99%, o valor da primeira parcela passaria para R$ 1.928,37 e o da última, de R$ 609,73.

Considerando um imóvel de R$ 200 mil para ser financiado em 420 meses. Com a taxa de 7,30%, o valor da maior parcela seria de R$ 1.741,51 e o da menor, de R$ 529,58.

Em exemplo similar com a maior taxa, mensalidade seria de R$ 1.849,00, e o da menor, de R$ 529,84.

Arte R7

Queda na Selic iniciou série de redução nas taxas

Conhecida como taxa básica de juros, a Selic vem registrando uma série de quedas, passando de 14,25% para 5,5%, nos últimos dois anos. A última redução ocorreu na reunião do Copom (Comitê de Política Monetária), do BC (Banco Central) no dia 18 de setembro

A previsão do mercado financeiro é que o país feche o ano com a Selic em 4,75% ao ano, o que seria um novo recorde histórico.

Leia também: Banco Central corta taxa de juros a 5,5% ao ano, menor valor da história

Essa expectativa vem fazendo com que os bancos se movimentem para oferecer condições mais atrativas de financiamento imobiliário e outras linhas de crédito. 

Leia também: Expectativa para a Selic no fim de 2019 permanece em 4,75% ao ano no Focus do BC

Juros menores deixam portabilidade atraente

Com a redução das taxas do crédito imobiliário nos principais bancos, a portabilidade passou a ser uma boa alternativa para quem quer reduzir um pouco o montante da dívida do financiamento da casa própria.

Leia mais: Bancos avaliam aderir ao financiamento pelo IPCA

Uma simulação desenvolvida pela Melhor Taxa, startup que auxilia na busca por juros mais adequados, mostra que é possível economizar quase R$ 200 mil ao optar pela portabilidade de um financiamento realizado em 2016, com taxa de juros de 10,7%, no valor de R$ 500 mil.

*Colaborou Alexandre Garcia