Bolsa Família

Economia Caixa deposita 3ª parcela do auxílio a mais de 2,4 milhões nesta sexta

Caixa deposita 3ª parcela do auxílio a mais de 2,4 milhões nesta sexta

Grana pode ser acessada nas contas digitais para pagar boletos e fazer compras online até a liberação do saque em 12 de julho

Auxílio emergencial é dirigido a trabalhadores informais impactados pela pandemia

Auxílio emergencial é dirigido a trabalhadores informais impactados pela pandemia

Marcelo Camargo/Agência Brasil - 21.07.2020

A terceira parcela do auxílio emergencial 2021 será paga nesta sexta-feira (25) para os trabalhadores que nasceram em julho, inscritos no CadÚnico (Cadastro Único do Governo Federal) ou por aplicativo, por meio de depósito nas contas digitais criadas para movimentar o benefício.

No mês passado, 2,4 milhões de trabalhadores informais desse grupo receberam a segunda parcela, totalizando R$ R$ 504,7 milhões.

Na conta digital, o beneficiário pode pagar boletos, realizar compras pela internet e em estabelecimentos comerciais. O dinheiro estará disponível para saque a partir de 12 de julho.

Leia também: Feirão vai ajudar a renegociar ou parcelar dívidas da conta de luz

As transferências seguem de acordo com o mês de aniversário e serão finalizadas na próxima quarta-feira (30) para os contemplados dos últimos dois meses do ano.

Com a antecipação dos calendários, os saques começam a partir de 1º de julho para nascidos em janeiro.

Calendário de débito da terceira parcela

Reprodução/Caixa

Calendário de saques da terceira parcela

Reprodução/Caixa

Os integrantes do Bolsa Família também estão recebendo a terceira parcela do benefício de acordo com o calendário habitual do programa. Nesta sexta-feira (25) serão contemplados os beneficiários com final 7 do NIS (Número de Identificação Social). Em junho, 9,77 milhões de famílias do programa serão contempladas com o auxílio emergencial.

O benefício é pago em quatro parcelas, com valor médio de R$ 250, exceção às mulheres chefes de família, que recebem R$ 375, e as pessoas que moram sozinhas, R$ 150.

Últimas