Novo Coronavírus

Economia Caixa deposita saque emergencial do FGTS para nascidos em abril

Caixa deposita saque emergencial do FGTS para nascidos em abril

Valor está disponível em poupança digital criada por banco e pode ser usado para pagamento de contas, boletos ou em compras online e presencial

  • Economia | Giuliana Saringer, do R7

Saque máximo é de R$ 1.405

Saque máximo é de R$ 1.405

Daniel Cymbalista /Fotoarena/Folhapress - 15.06.2020

A Caixa Econômica Federal deposita nesta segunda-feira (20) o saque emergencial do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) para os brasileiros nascidos em abril na poupança social criada pelo banco. 

O valor está disponível pelo aplicativo Caixa Tem. Os usuários vão poder usar o saldo para pagamento de contas, boletos ou compras online ou presenciais pelo cartão de débito virtual. 

Cada beneficiário pode receber até R$ 1.045 e o calendário foi definido de acordo com o mês de aniversário do beneficiário. A iniciativa do governo federal é uma forma de responder aos impactos econômicos provocados pela pandemia de coronavírus.

Até quando posso fazer o saque emergencial de R$ 1.045 do FGTS?

Quem preferir sacar o dinheiro em espécie ou transferir o saldo para outra conta bancária precisa esperar até o dia 5 de setembro. A Caixa optou por duas datas para cada mês de aniversário para evitar aglomerações nas agências bancárias. 

Como consultar valor do saque

A consulta ao benefício está disponível pelo app FGTS (Android e iOS), pelo internet banking da Caixa, pelo site oficial e pelo telefone 111. É possível checar o valor disponível e qual a data de disponibilização do FGTS.

Quem não quiser realizar o saque deve informar pelo aplicativo do FGTS com pelo menos 10 dias de antecedência da data prevista do crédito. Também é possível solicitar o desfazimento do crédito depois do depósito. Neste caso, o valor volta para a conta do FGTS do beneficiário.

Além disso, se a poupança social digital não sofrer movimentação até o dia 30 de novembro, os valores retornarão à conta FGTS do trabalhador, devidamente corrigidos.

Arte/ R7

Últimas