Câmara aprova que ajuda de R$ 600 seja paga a pessoas sem CPF regular

Destaque ao texto do benefício em vigor, autoriza a utilização de qualquer documento de registro civil para receber o auxílio do governo

Texto original limitava auxílio a quem tivesse CPF regular

Texto original limitava auxílio a quem tivesse CPF regular

Lucas Tavares/Zimel Press/Estadão Conteúdo

A Câmara dos Deputados aprovou nesta quinta-feira (16) uma mudança ao texto-base da ampliação do auxílio emergencial  de R$ 600 votado mais cedo pelos deputados.

O destaque de autoria do PSB permite que o beneficiário busque o pagamento mesmo que esteja com seu CPF ou título de eleitor de irregular. Neste caso, para o cadastro, deve ser usado um documento de registro civil, como carteira de identidade ou de trabalho ou certidão de nascimento ou de casamento.

Leia mais: Justiça barra necessidade de ter CPF ativo para receber auxílio de R$ 600

"Milhões de pessoas habilitadas para receber o benefício passam fome em suas casas. Elas não podem ficar impedidas de receber o benefício por conta de exigências burocráticas. Mais uma vez, o Parlamento demonstra que está atento às necessidades da população e aos problemas que afligem os brasileiros", disse o líder do PSB na Câmara, deputado Alessandro Molon (RJ).

Com amplo apoio da Casa, deputados aprovaram mais cedo, de forma simbólica, sem a contagem de votos, a ampliação do auxílio emergencial de R$ 600 para trabalhadores informais durante a crise da covid-19.

A medida aprovada foi uma versão modificada do que o Senado havia aprovado, por isso, depois de concluída a análise dos destaques a medida terá de retornar para nova análise dos senadores. Só depois poderá ir à sanção presidencial. Há ainda faltam outros quatro destaques a serem votados pelos deputados.