Campos Neto: volatilidade cambial também preocupa o BC, mas tende a diminuir

O presidente do Banco Central (BC), Roberto Campos Neto, disse nesta quinta-feira, 3, que a volatilidade cambial preocupa, mas tende a se atenuar à medida que o Brasil convencer o mercado do compromisso com as reformas e responsabilidade fiscal. "Gostaria de ter uma volatilidade menor. Acho que vai caminhar a esse ponto", comentou o presidente do BC numa live com o empresário Abílio Diniz. "Começo a acreditar que a volatilidade vai cair", disse.

Campos Neto observou que as intervenções do BC são limitadas para estabilizar o câmbio, citando que interferências por meio de opções e bandas não tiveram tantos resultados no exterior.

Ele atribuiu a volatilidade mais recente da moeda aos juros na mínima histórica, a mudanças nas negociação de contratos em real, com mais investidores fazendo trades curtos em contratos mini de moeda, e ao fato de fundos de investimento e de pensão da América Latina estarem negociando mais em moeda brasileira.

"A volatilidade tende a se atenuar na ausência de fatores que levam a crises", comentou o presidente do BC.