Caso de coronavírus em plataforma da Equinor expõe perigos da doença para o setor

Por Nerijus Adomaitis e Terje Solsvik

OSLO/LONDRES (Reuters) - A petroleira Equinor anunciou nesta quarta-feira o primeiro caso de infecção por coronavírus do setor em uma instalação "offshore", ressaltando o desafio que é evitar a contaminação de milhares de trabalhadores que vivem em plataformas e sondas petrolíferas.

Um funcionário da companhia norueguesa foi colocado em isolamento na plataforma de óleo e gás de Martin Linge, onde a produção está prevista para ter início no final deste ano, informou a Equinor.

A empresa disse que vai reduzir as atividades no campo, mas que sua equipe continuará nas instalações, com trabalhadores diminuindo o número de reuniões e se mantendo mais afastados para evitar novas contaminações.

A Equinor possui 776 pessoas trabalhando no projeto em três instalações diferentes: a plataforma Martin Linge, a sonda de perfuração Intrepid (da Maersk) e o módulo de acomodação Floatel Endurance.

A companhia ainda aguarda pelos resultados dos exames de outras duas pessoas, acrescentou a Equinor.

(Reportagem adicional de Shadia Nasralla em Londres, Isla Binnie em Madri, Stephen Jewkes em Milão e Kirsti Knolle em Viena)