Economia China vai permitir adiamento de pagamento de impostos pelo setor manufatureiro, diz Conselho de Estado

China vai permitir adiamento de pagamento de impostos pelo setor manufatureiro, diz Conselho de Estado

MACRO-CHINA-IMPOSTOS:China vai permitir adiamento de pagamento de impostos pelo setor manufatureiro, diz Conselho de Estado

Reuters - Economia

PEQUIM (Reuters) - A China vai adiar a exigência de pagamento de alguns impostos para empresas do setor manufatureiro por três meses a partir de novembro, devido ao impacto dos altos preços das matérias-primas e do aumento dos custos de produção, disse o gabinete do país nesta quarta-feira, de acordo com a TV estatal.

O diferimento de tributos chega a um total de cerca de 200 bilhões de iuanes para empresas menores do setor manufatureiro, disse a China Central Television citando o Conselho de Estado após uma reunião presidida pelo premiê Li Keqiang.

Além disso, o governo também permitirá que as empresas de carvão e de aquecimento adiem seus pagamentos de impostos --no valor de cerca de 17 bilhões de iuanes-- no quarto trimestre para ajudar a resolver suas dificuldades operacionais, de acordo com a reunião.

A atividade fabril da China encolheu inesperadamente em setembro devido à escassez de energia e aos preços elevados dos insumos, intensificando os ventos contrários que a economia chinesa enfrenta, entre os quais restrições em seus setores de propriedade e tecnologia.

O Produto Interno Bruto (PIB) da China cresceu 4,9% entre julho e setembro em relação ao mesmo período do ano anterior, ritmo mais fraco desde o terceiro trimestre de 2020, aumentando a pressão sobre autoridades do país para implementar medidas de apoio visando estabilizar a economia em desaceleração.

O governo estudará mais políticas de redução de impostos para entidades de mercado na próxima etapa e intensificará ajustes finos e preventivos das macropolíticas no momento apropriado, disse a reunião do Conselho de Estado.

A China também estenderá isenções fiscais sobre juros de títulos para investidores estrangeiros até o fim de 2025, acrescentou a reunião.

(Por Stella Qiu e Ryan Woo)

Últimas