Imposto de Renda 2017
Economia Cinco dicas para usar bem a restituição do Imposto de Renda

Cinco dicas para usar bem a restituição do Imposto de Renda

Na quinta, cerca de 2,3 milhões receberam R$ 2,8 bilhões da Receita

Cinco dicas para usar bem a restituição do Imposto de Renda

Grana extra chegou 45 dias antes do fim do ano

Grana extra chegou 45 dias antes do fim do ano

Marcos Santos / USP Imagens

A Receita Federal depositou, nesta quinta-feira (16), o sexto e penúltimo lote de restituição do Imposto de Renda 2017. Mais de R$ 2,8 bilhões foram pagos a cerca de 2,3 milhões de contribuintes. O valor foi corrigido em 5,62% pela taxa Selic.

Para saber se teve a restituição liberada, é preciso acessar a página da Receita na internet, neste link, e informar CPF e data de nascimento.

O que fazer com a restituição do IR?

O R7 ouviu o planejador financeiro, Rogério Nakata, da Economia Comportamental, e o educador financeiro Fábio Barbalho, da Consultoria Ponto C, para saber qual é o melhor destino para quem recebeu esse dinheiro extra a 45 dias do fim do ano.

1) Verifique as finanças

O primeiro passo antes de sair gastando o dinheiro é fazer uma análise da situação financeira. “Se, após fazer o orçamento doméstico, verificar que o nível de endividamento está acima de 30% do recebe no mês para viver, use o dinheiro da restituição para melhorar essa situação, cortando dívidas”, diz Nakata.

Especialistas: pagar as dívidas é o primeiro passo

Especialistas: pagar as dívidas é o primeiro passo

Getty Images

2) Pague as dívidas

Um exemplo: vamos supor que a pessoa receba R$ 5.000 livres no fim do mês. Se suas dívidas ultrapassarem os R$ 1.500 mensais, está na hora de mudar isso, antes que chegue ao ponto de não poder sequer sair para comer uma pizza no fim de semana.

Se as dívidas estão atrasadas, novembro é um bom mês para renegociar, pois as empresas querem incentivar os consumidores a voltarem a ter o nome limpo para as compras de Natal.

Até o dia 30, o Feirão Limpa Nome, da Serasa Experian, promove descontos de até 90% para renegociação de dívidas atrasadas pela internet.

Prefira pagar as dívidas mais caras como cartão de crédito e cheque especial, cujos juros são muito superiores ao rendimento de qualquer aplicação financeira.

3) Crie uma reserva financeira

Se depois de fazer a análise das suas contas você fica feliz por não ter contas atrasadas, mas percebe que não tem nenhum dinheiro reservado, está na hora de criar a reserva de emergência. Essa reserva é a primeira poupança que alguém deve ter, e deve corresponder ao equivalente entre seis meses a um ano das despesas. Pegar o dinheiro da restituição para começar essa reserva de emergência é um ótimo jeito de guardá-lo.

Prepare-se para as contas como o IPVA

Prepare-se para as contas como o IPVA

Jf Diorio/Estadão Conteúdo

4) Prepare-se para as contas do começo do ano

Não é surpresa: todo começo de ano há despesas pesadas como a cobrança de tributos como IPTU e IPVA, gastos com matrícula escolar, uniforme, compra de material, pagar as contas do Natal, gastos com viagens... Se possível, reserve uma parte desse dinheiro para esse fim.

5) Dê nome e sobrenome ao dinheiro

Se resolver guardar o dinheiro, dê um destino a ele. “Dinheiro tem que ter nome e sobrenome, não adianta guardar por guardar porque é mais fácil cair nos apelos do marketing”, diz Fábio Barbalho.

Esse dinheiro pode ser usado, por exemplo, para ser a primeira parcela da viagem de férias do ano que vem.