Clarida, do Fed, diz que cortes de juros foram "oportunos" e política monetária deve permanecer apropriada

NOVA YORK (Reuters) - O vice-chairman do Federal Reserve, Richard Clarida, apresentou uma perspectiva otimista para a economia dos Estados Unidos em 2020 nesta quinta-feira, dizendo que os cortes na taxa de juros do ano passado foram "oportunos" e que a política monetária está bem posicionada para o novo ano.

Embora a taxa de desemprego esteja em uma mínima em 50 anos, o forte mercado de trabalho ainda não está criando pressão para a inflação, que ele espera que vá "gradualmente" se aproximar da meta simétrica de 2% do Fed, disse Clarida em Nova York nesta quinta-feira.

"Eu acredito que a política monetária está em uma boa posição e deve continuar apoiando o crescimento sustentado, um mercado de trabalho forte e inflação próxima ao nosso objetivo simétrico de 2%", afirmou Clarida. "Enquanto as informações recebidas sobre a economia permanecerem amplamente consistentes com essa perspectiva, a postura atual da política monetária provavelmente permanecerá apropriada".

Clarida repetiu a frase frequentemente usada de que a política monetária não está em um curso pré-estabelecido e que as autoridades mudarão de rumo se algo "desencadear uma reavaliação material" das perspectivas econômicas.

Sobre a inflação, a autoridade do Fed enfatizou que a meta de 2% do banco central "não é um teto" e que os maiores riscos com a inflação tendem para o lado negativo.

Clarida disse que o Fed pode começar a reduzir o tamanho de suas operações compromissadas após janeiro, à medida que aumenta o nível geral de reservas. Ele disse que as autoridades discutirão essa estratégia durante a próxima reunião de política monetária, prevista para o final do mês.