Economia Com alta de preços em dezembro, Inflação de 2020 fica em 4,52%

Com alta de preços em dezembro, Inflação de 2020 fica em 4,52%

Variação ficou acima do esperado por analistas ouvidos pelo Banco Central, que previam, na segunda-feira, aumento de 4,37%

  • Economia | Do R7

Resumindo a Notícia

  • IPCA fechou 2020 em 4,52%, maior taxa desde 2016
  • Resultado deixa a inflação de 2020 acima do centro da meta estipulada pelo governo, de 4%
  • Também nesta segunda, IBGE divulgou o INPC, outro indicador de inflação: 5,45% em 2020
Variação de preços em 2020 ficou acima da previsão do mercado financeiro

Variação de preços em 2020 ficou acima da previsão do mercado financeiro

Reprodução

O IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) divulgou nesta terça-feira (12) a inflação oficial do país em 2020, medida pelo IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo). Segundo o órgão, a variação de preços fechou o ano em 4,52%, maior taxa desde 2016.

O resultado deixa a inflação de 2020 acima do centro da meta estipulada pelo governo, de 4%. Mas ainda dentro do limite de tolerância de 1,5 ponto percentual para cima ou para baixo.

Em levantamento do Banco Central, divulgado na segunda-feira (11), analistas do mercado apostavam em IPCA de 4,37%.

Também nesta segunda-feira o IBGE divulgou o INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor), indicador que também mede a inflação no país, mas que leva em consideração apenas quem ganha até cinco salários mínimos. Em dezembro, ele ficou em 1,46%, acumulando alta de 5,45% em 2020.

O percentual de 5,45% obriga o governo federal a rever o reajuste já anunciado para o salário mínimo, que usava como base a projeção de 5,26%.

Habitação puxou o IPCA

O IPCA de dezembro subiu 1,35%, 0,46 ponto percentual acima dos 0,89% de novembro. Essa é a maior variação mensal desde fevereiro de 2003 (1,57%) e o maior índice para um mês de dezembro desde 2002 (2,10%). Em dezembro de 2019, a variação havia sido de 1,15%. O grupo Habitação teve o maior impacto (0,45 p. p.) e variação (2,88%) no mês.

Todos os grupos pesquisados tiveram alta em dezembro, com destaque para o segmento de Habitação, que apresentou a maior variação (2,88%) no índice do mês.

Também tiveram importante impacto as variações do grupo Alimentação e Bebidas (1,74%), no qual houve desaceleração frente ao mês anterior (2,54%).

Contribuíram para isso a queda nos preços do tomate (-13,46%) e as altas menos intensas nos preços das carnes (3,58%), do arroz (3,84%) e do óleo de soja (4,99%), cujas variações em novembro haviam sido de 6,54%, 6,28% e 9,24%, respectivamente.

INPC

undefined

O IBGE divulgou simultaneamente na manhã desta segunda-feira o INPC, utilizado para reajustar o salário mínimo de 2021 pago no país.

Em dezembro, ele ficou em 1,46%, acumulando alta de 5,45% em 2020.

Todas as áreas pesquisadas apresentaram aumento no mês.

Os produtos alimentícios subiram 1,86% em dezembro enquanto, no mês anterior, haviam registrado 2,65%.

Já os itens não alimentícios apresentaram alta de 1,33%, após registrarem 0,42% de variação positiva em novembro.

Últimas