Comércio da China enfrenta desafios conforme pequenas empresas combatem impacto do coronavírus

PEQUIM (Reuters) - O comércio exterior da China enfrenta desafios à medida que pequenas e médias empresas em suas cadeias de suprimentos passam por dificuldades de financiamento em meio a restrições comerciais, falta de matérias-primas e pagamentos atrasados devido ao surto de coronavírus, informou o Ministério do Comércio do país nesta quinta-feira.

Uma pesquisa do ministério mostrou que mais de 90% das cerca de 7 mil empresas envolvidas no comércio exterior estão enfrentando atrasos nas remessas e nos pagamentos por conta do surto, disse o ministério a repórteres em uma entrevista online.

Muitas empresas enfrentam riscos significativos de cancelamento de pedidos e rejeições na entrega e pagamentos de produtos, disse Li Xingqian, diretor do departamento de comércio exterior do ministério, pedindo um seguro de crédito à exportação "necessário com urgência" para elas.

"O ministério introduzirá novas medidas de assistência em tempo hábil", acrescentou Li, sem especificar um prazo.

Mas não houve uma grande mudança nas cadeias de suprimentos ou na manufatura da China, disseram autoridades do ministério, acrescentando que algumas empresas estrangeiras continuam investindo, apostando nas perspectivas de longo prazo do mercado chinês.

Os problemas enfrentados pelas empresas estrangeiras na retomada do trabalho após restrições de viagens e movimentos para conter o vírus serão resolvidos em breve, à medida que Pequim orienta as principais indústrias a retomarem a produção, disse o funcionário do ministério Zong Changqing.

"O impacto do surto de coronavírus nas cadeias industriais e de suprimentos é temporário", acrescentou Zong, diretor do departamento de investimentos estrangeiros do ministério.

"O status importante da China na cadeia global industrial e de suprimentos não mudará por causa disso."

(Por Jing Xu, Yawen Chen e Se Young Lee)