Finanças Pessoais
Economia Como fazer a divisão das contas de casa com amigos ou namorado

Como fazer a divisão das contas de casa com amigos ou namorado

Especialistas ouvidas pelo R7 dão dicas de como partilhar as contas e economizar para sobrar um dinheiro no final do mês

Dividir as contas

Casais podem dividir conta de acordo com renda de cada um

Casais podem dividir conta de acordo com renda de cada um

Pixabay

Morar com amigos ou com o parceiro pode ser a realização pessoal para muitos brasileiros. Entretanto, para que a rotina, funcione é preciso dividir as contas de casa da melhor maneira possível.

A professora dos MBAs da FGV (Fundação Getulio Vargas) Myrian Lund afirma que a divisão de contas deve ser feita de maneiras diferentes no caso de amigos e casais que dividem o mesmo teto. “Normalmente se é com amigo, a gente tem que dividir igual. Quando é casal, o ideal é fazer uma divisão proporcional, porque às vezes um ganha muito menos do que o outro. Não é justo que quem ganhe menos pague mais”, explica.

A professora de finanças do Insper Juliana Inhasz afirma que o mais justo é que cada pessoa pague mais pelo item que usa mais. Quem trabalha em casa e usa internet, por exemplo, deveria pagar mais pelo serviço do que quem passa o dia todo fora de casa. No entanto, essa prática não é comum e Juliana reforça que o importante é que cada grupo ou casal determine uma regra que funcione bem para todos.

No caso de amigos, dividir as contas fixas, como aluguel e condomínio, e cada um se responsabilizar pela própria comida é um hábito que tem crescido entre os brasileiros. Juliana diz, por exemplo, que cozinhar em casa pode sair mais caro do que comer fora de casa para quem compra a própria comida.

“Muitas vezes para você fazer um prato que compraria por R$ 15 ou R$ 20 na rua, você gasta R$ 40 em casa. Por esse preço, daria para fazer três porções, mas às vezes você vai fazer e comer uma só”, diz. A compra gera um desperdício que muitas vezes não é percebido.

Para os casais, Myrian orienta que cada um tenha sua conta corrente separada e juntem um dinheiro em conjunto para a realização de sonhos, como a compra da casa própria ou um carro novo. Separar as contas faz com que cada um priorize os gostos pessoais e evitem estresses. “Quando você tem uma privacidade, existem menos brigas”, afirma.

Juliana concorda com o mais justo é que os casais possam dividir as contas de acordo com a renda de cada um. “Quem ganha mais, paga mais”, diz.

Quem divide as contas

Economia na divisão das contas

Juliana diz que é interessante que o casal ou grupo que divida os alimentos escolham uma pessoa para centralizar as compras, que isso aumenta a economia para todos. “O planejamento fica muito melhor. A pessoa cria um hábito do padrão de consumo. Sabe o que precisa, quanto custa e não vai gastar de maneira desenfreada”, explica. 

Evitar o desperdício e controlar os gastos são as formas indicadas por Juliana para sobrar um dinheiro no final do mês. Para ela, a poupança precisa ser uma prioridade, para que a pessoa chegue mais perto da realização dos sonhos.

“Quando a gente gasta dinheiro com uma coisa que a gente consome, mesmo que caro, tem um retorno.[O desperdício] é um dinheiro que a gente perde sem retorno”, afirma.

Myrian também orienta que os brasileiros organizem as finanças utilizando cerca de 50% do orçamento para despesas domésticas, 20% para lazer e compras pessoais e 30% para guardar. Esta fórmula vale para as pessoas que recebem cerca de R$ 6 mil, valor que possibilidade uma melhor qualidade de vida, e não têm dívidas

“Tente olhar quais os objetivos de vida. A gente faz a planilha de receita e despesa. Nela, vamos começar a cortar o que não contribui para o que você quer”, diz. “Você precisa pensar quais os seus sonhos e objetivos. Isso é o que vai trazer sua felicidade”, afirma.