Economia Confiança da construção cresce ao maior nível desde março de 2014

Confiança da construção cresce ao maior nível desde março de 2014

Indicador atingiu os 95,7 pontos com o aumento das expectativas dos empresários para os próximos meses, aponta FGV

  • Economia | Do R7

Confiança da construção subiu 3,3 pontos em julho

Confiança da construção subiu 3,3 pontos em julho

Fernando Frazão/Agência Brasil - 23.06.2021

A confiança da construção subiu 3,3 pontos em julho, para 95,7 pontos, e atingiu o maior nível desde março de 2014 (96,3 pontos), de acordo com dados divulgados nesta terça-feira (27), pela FGV (Fundação Getulio Vargas).

Com a alta, o índice avançou 3,6 pontos no trimestre encerrado em junho e apresentou a segunda alta consecutiva na comparação com os três meses anteriores.

A coordenadora de projetos da construção do Ibre (Instituto Brasileiro de Economia, Ana Maria Castelo, avalia que o crescimento da atividade e uma percepção bastante favorável em relação à evolução da demanda nos próximos meses faz prevalecer um cenário levemente otimista para o setor. “Se no segundo semestre de 2020, a alta dos custos contribuiu para derrubar a confiança, em 2021 esse efeito foi atenuado", observa ela.

O resultado positivo ocorre com a melhora das expectativas dos empresários para os próximos meses. O ISA-CST (Índice de Situação Atual) se manteve estável, ao recuar 0,1 ponto, para 89,4 pontos. Esse resultado foi devido à piora do indicador de situação atual dos negócios, que caiu 4,3 pontos, para 88,3 pontos.

O IE-CST (Índice de Expectativas) avançou 6,8 pontos, para 102,2 pontos, maior nível desde de janeiro de 2020 (104,2 pontos). Os indicadores de demanda prevista e tendência dos negócios subiram 6,4 e 7,2 pontos, para 102,3 pontos e 102 pontos respectivamente.

O NUCI (Nível de Utilização da Capacidade) da Construção caiu 3,7 pontos percentuais, para 73,7%. Já o NUCI de Mão de Obra e Máquinas e Equipamentos tiveram variações idênticas ao cair 3,7 p.p, para 75,2% e 66,6%.

Últimas