Economia Confiança do comerciante tem primeira queda após dois meses

Confiança do comerciante tem primeira queda após dois meses

A Confederação Nacional do Comércio justifica receio dos empresários dizendo que energia elétrica e combustíveis pressionaram os preços no atacado e mantiveram consumo morno

Agência Estado
Apesar da queda, índice está acima de 100 pontos

Apesar da queda, índice está acima de 100 pontos

04/04/2020. REUTERS/Lawrence Bryant/File Photo

O Icec (Índice de Confiança do Empresário do Comércio), apurado pela CNC (Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo), recuou 1,2% em fevereiro ante janeiro, para 119,3 pontos, informou nesta quarta-feira (16) a entidade. Foi a primeira queda após dois meses de alta.

Mesmo com a queda, o Icec permaneceu dentro da zona de satisfação, ou seja, acima dos 100 pontos, "devido à recuperação do setor no ano passado", diz a nota divulgada pela CNC. Na comparação com fevereiro de 2021, o Icec registrou um salto de 14,2%.

A queda de janeiro foi puxada pelo componente Expectativa do Empresário do Comércio, que teve redução de 1,6% ante janeiro. Segundo a CNC, a inflação e o encarecimento de insumos estão minando o otimismo dos comerciantes.

"Com a energia elétrica e os combustíveis mais caros, os preços no atacado pressionando a formação de preços ao consumidor, os juros ascendentes e o consumo ainda morno, o empresariado demonstra receio", diz a nota da CNC.

Últimas