Coronavírus

Economia Confiança do consumidor desaba ao menor nível desde maio

Confiança do consumidor desaba ao menor nível desde maio

Queda de 9,8 pontos que levou o índice aos 68,2 pontos é atribuída ao avanço da pandemia no Brasil, aponta FGV

  • Economia | Do R7

Pessimismo é maior para os próximos meses

Pessimismo é maior para os próximos meses

Fernando Bizerra/EFE - 15.03.2021

O agravamento da pandemia do novo coronavírus ocasionou na queda de 9,8 pontos do ICC (Índice de Confiança do Consumidor), que atingiu os 68,2 pontos, menor valor desde maio de 2020 (62,1). Os dados foram divulgados nesta terça-feira (23), pela FGV (Fundação Getulio Vargas).

Para Viviane Seda Bittencourt, coordenadora das sondagens da FGV, a forte queda da confiança dos consumidores é resultado do recrudescimento da pandemia de covid-19 em todo o país e do colapso do sistema de saúde em várias cidades.

"A campanha de imunização no país segue lenta, enquanto o número de hospitalizações e mortes por dia avança rapidamente, levando estados e municípios a adotar medidas de restrição à circulação de pessoas", avalia ela.

Em março, houve piora tanto da percepção dos consumidores em relação ao momento presente quanto das expectativas para os próximos meses. O ISA (Índice de Situação Atual) caiu 5,5 pontos, para 64 pontos enquanto o IE (Índice de Expectativas) despencou 12,3 pontos, para 72,5 pontos.

Segundo a FGV, a queda no ICC está atrelada de modo mais significativo ao aumento do pessimismo com respeito às expectativas para os próximos seis meses. "Os consumidores percebem a piora da situação econômica atual com sérios riscos ao emprego e à renda e são também afetados psicologicamente pelo medo de contrair a doença e pela necessidade de isolamento social”, diz Viviane.

A análise por faixas de renda revela piora da confiança em todos grupos analisados, mas com maior intensidade entre os mais pobres. Entre famílias com rendimentos de até R$ 2.100, o ICC despencou 11,8 pontos em março, para 63,5 pontos. Os valores registrados para todas as faixas de renda em março são os menores desde maio de 2020.

Últimas