Economia Consumo de água na descarga diminui dois terços em três décadas

Consumo de água na descarga diminui dois terços em três décadas

Além de se preocupar com o desperdício, consumidor tem opção para economizar água e luz

Consumo de água na descarga diminui dois terços em três décadas

Outros equipamentos hidráulicos das casas também reduziram o consumo ao longo do tempo

Outros equipamentos hidráulicos das casas também reduziram o consumo ao longo do tempo

Reprodução/Getty Images

O gasto de água nas descargas do Brasil diminuiu de 18 litros por acionamento na década de 80 para 6 litros por acionamento no padrão atual, segundo o presidente da Abes-SP (Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental), Alceu Guérios Bittencourt.

Outros equipamentos hidráulicos das casas também reduziram o consumo ao longo do tempo. A pia de cozinha, por exemplo, ganhou o arejador (que amplia o jato sem gastar mais água), e diminuiu a vazão para de 6 litros a 8 litros por minuto — cerca de metade do que consumiria sem o acessório.

As empresas da construção civil precisam seguir diversas normas da ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas) para controlar e reduzir  o desperdício de água. Segundo Bittencourt,  há diversos programas que promovem o uso racional da água.

— Já há uma padronização da bacia sanitária e da descarga, seja de parede ou de caixa acoplada. Com a substituição dos aparelhos que ocorre com o tempo, isso gera uma redução no consumo de água.

Leia mais sobre Economia e ajuste suas contas

Cobrança injusta: Russomanno mostra como o ar gera custo maior na conta de água

Seja bombardead@ de boas notícias. R7 Torpedos

O presidente da Abes afirma ainda que a crise hídrica no Sudeste do País está sendo um estímulo para os consumidores usarem a água de forma consciente.

— Nos próximos anos, isso será muito trabalhado. Até porque essa crise é grande, vai levar um tempo para se recuperar.

O vilão

O chuveiro elétrico é responsável por 55% do consumo de água das casas, diz Programa Nacional de Combate ao Desperdício de Água

O chuveiro elétrico é responsável por 55% do consumo de água das casas, diz Programa Nacional de Combate ao Desperdício de Água

Getty Images

A maioria dos brasileiros das classes C, D e E tem um chuveiro elétrico em casa. Ele é o vilão da economia. Se, de um lado, ele é o mais barato eletrodoméstico nos lares do País, de outro, é também o que mais consome luz e água.

De acordo com o Programa Nacional de Combate ao Desperdício de Água (dos autores Adilson Lourenço Rocha, Douglas Barreto e Eduardo Ioshimoto), o chuveiro elétrico é responsável por 55% do consumo de água das casas.

Preocupado em economizar os recursos naturais básicos e secundários, o engenheiro eletricista Cláudio Orlandi Lasso criou um acessório para chuveiro elétrico que economiza mais de 40% do gasto de energia e 40% do consumo de água.

O aparelho, chamado de EcoShower, dá um controle maior da energia que vai para o chuveiro. Segundo Lasso, em vez de o consumidor aumentar o fluxo de água para diminuir a temperatura, ele controla a energia que vai para o chuveiro.

— Com o controle da potência, o usuário tem como garantir uma boa economia de água e de energia. Sem perder o conforto de um banho morno e sem gastar mais água para controlar a temperatura. O aparelho ajuda ainda a aumentar a vida útil do chuveiro, já que reduz o esforço em manter a temperatura.

Saiba como economizar na conta de energia mais de R$ 1.200 ao ano

Exemplo de economia

Uma família paulistana de quatro pessoas (cada uma tomando um banho de 10 minutos por dia) que more em um prédio economiza até R$ 21,96 com energia e R$ 2,40 com consumo de água por mês.

Como o aparelho custa R$ 128, ele se pagará — com a economia (de água e luz) — em cinco meses e uma semana. A partir daí, a família terá um lucro mensal de R$ 24,36. Com isso, nos sete meses restantes, o lucro será de mais de R$ 170,52.

Investimento

As concessionárias de energia elétrica poderiam investir no projeto, que ajudaria a economizar luz e água. Isso porque há uma regra na Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) que obriga as concessionárias a aplicar anualmente, no mínimo, 0,5% de sua receita operacional líquida em ações que tenham o objetivo de combater o desperdício de energia.

Desse montante, 60% devem ser direcionados para famílias de baixa renda. Em geral, as empresas preferem fazer doação de geladeira e lâmpadas que tenham menor consumo de energia, além de instalação de aquecedores solares.

De acordo com Cláudio Lasso, as lâmpadas e geladeiras trazem economia apenas de energia elétrica, os aquecedores geram economia de luz, mas aumentam o gasto de água. O chuveiro ecológico, por outro lado, economiza água e luz.

Quer fazer compras online? Use o R7 Ofertas

Moda, esportes, política, TV: as notícias mais quentes do dia