Economia Consumo de gás no Brasil cai 8% em outubro, diz Abegás

Consumo de gás no Brasil cai 8% em outubro, diz Abegás

Queda se deve ao menor uso de térmicas, desligadas devido a uma melhoria nas chuvas no Sul, o que favoreceu a geração de energia das hidrelétricas

Consumo de gás no Brasil cai 8% em outubro, diz Abegás

Tanques de gás no Rio de Janeiro

Tanques de gás no Rio de Janeiro

Pilar Olivares/Reuters

O consumo de gás natural no Brasil caiu 7,88% em outubro na comparação com mesmo mês do ano passado, principalmente devido à forte retração no uso do insumo para a geração de energia em termelétricas, apontou relatório da Associação Brasileira das Empresas Distribuidoras de Gás Canalizado (Abegás) nesta quarta-feira (26).

No total, o consumo de gás em outubro somou 71,08 milhões de metros cúbicos/dia, o que também significou retração de 10,27% ante setembro.

O uso do gás para geração termelétrica em outubro foi de cerca de 28,3 milhões de m³/dia, forte recuo de 22,9% frente ao mesmo mês de 2017, quando um acionamento maior de usinas térmicas levou a um consumo de 36,69 milhões de m³/dia no segmento.

Em setembro, as térmicas haviam liderado o consumo de gás no país, com uso total de 34,4 milhões de m³/dia.

No final daquele mês, no entanto, o Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico (CMSE) decidiu pelo desligamento das termelétricas mais caras do sistema devido a uma melhoria nas chuvas no Sul, que favoreceu a geração hidrelétrica.

Em outubro houve recuo também no uso de gás como matéria-prima, com queda de 12,8% na comparação anual, para 494 mil m³/dia, enquanto todos outros segmentos de consumo apresentaram avanço.

O setor industrial, que alterna com as termelétricas o posto de maior consumidor de gás do país, liderou o consumo em outubro com 28,54 milhões de metros cúbicos, alta de 2,35% na comparação anual. Frente a setembro, houve recuo de 3,5%.

O uso do gás no setor automotivo também teve importante alta em outubro, com avanço de 15,29% na comparação anual, para cerca de 6,3 milhões de m³/dia, maior patamar da série histórica da Abegás.

"Desde que a Petrobras adotou uma política de preços de mercado para os combustíveis líquidos em 2017, a competitividade do Gás Natural Veicular (GNV) tem ficado mais evidente para o consumidor. O consumo de GNV desde então vem aumentando de forma consistente ", destacou em nota o presidente da associação, Augusto Salomon.

No segmento residencial, o consumo de gás avançou 17,76% na comparação com outubro passado, para 1,33 milhão de m³/dia.

O levantamento estatístico da Abegás, feito com concessionárias em 20 Estados, apontou ainda uma alta de 2,95% no consumo de gás natural do Brasil no acumulado dos 10 primeiros meses de 2018, quando na comparação com igual período do ano anterior.

    Access log