Economia Correios estão prontos para a Black Friday, diz presidente da estatal

Correios estão prontos para a Black Friday, diz presidente da estatal

Empresa tem investido em qualidade operacional e capacidade logística para absorver o pico da demanda das datas promocionais

  • Economia | Da Agência Brasil

Correios se prepararam para a data de promoções

Correios se prepararam para a data de promoções

Agência Brasil

O presidente dos Correios, Floriano Peixoto, disse que a estatal está pronta para atender à demanda de encomendas resultante da Black Friday, que ocorre nesta sexta-feira (26).

Peixoto destacou a capilaridade da estatal, bem como sua condição de maior operador logístico do comércio eletrônico do país.

“A Black Friday tem sido, nos últimos anos, uma experiência exitosa na empresa”, afirmou. “Os Correios estão se preparando há meses para a data. Nosso objetivo é repetir a boa performance dos últimos anos com o acréscimo da experiência que tivemos. A cada ano, batemos novos recordes.”



Segundo a assessoria da estatal, os Correios têm investido cada vez mais no aumento da qualidade operacional e capacidade logística, para absorver o pico da demanda previsto para as datas promocionais de fim de ano sem ampliar o prazo das entregas, inclusive para atender às expectativas de crescimento do comércio eletrônico nesse período. A estatal também oferece soluções formatadas especialmente ao comércio eletrônico.

“Os Correios têm a liderança da logística do ecommerce no Brasil e estão sempre aprimorando os seus serviços. É isso que garantimos para a Black Friday 2021: estamos prontos e com a atenção plenamente voltada para entregar a melhor experiência aos clientes”, disse Alex do Nascimento, diretor de Negócios dos Correios. “Nosso objetivo é prestar os melhores serviços às empresas e oferecer a melhor experiência a vendedores e compradores.”

Entre os investimentos houve a renovação da frota dos Correios e uma modernização da operação. “Estamos realizando uma nova onda de automação de processos na empresa. Vamos automatizar mais nove centros de tratamento e estamos comprando máquinas muito mais modernas, inclusive específicas para atender os centros de tratamento internacionais”, disse Carlos Henrique de Luca Ribeiro, diretor de Operações da empresa.

O aumento da capacidade da carga aérea para chegar mais rapidamente às regiões Norte e Nordeste também é uma das apostas da empresa. “Seremos o único operador logístico do Brasil a oferecer prazo expresso para a maioria dos estados do Norte e Nordeste”, disse o diretor de Operações.

Cuidados nas compras

A Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon), órgão do Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP), e a Fundação Procon SP fizeram ações para orientar os consumidores a ter cuidados ao realizar suas compras durante a Black Friday e não cair em golpes.

A Senacon elaborou uma lista de orientações que devem ser adotadas nas compras digitais durante o período de promoções. Entre as instruções estão conhecer a reputação da loja, guardar os registros de compras e pesquisar se o site tem conexões seguras para proteção de seus dados.

Já a Fundação Procon SP sugere que, antes de realizar a compra, o consumidor consulte previamente a lista de sites não recomendados pelo Procon-SP, que pode ser acessada aqui. Outras dicas são evitar as compras por impulso e consultar o orçamento para avaliar se as compras não vão comprometê-lo.

Expectativa

Apesar dos anúncios de promoções em lojas físicas e virtuais, a expectativa de algumas entidades é que a Black Friday deste ano seja mais fraca para os comerciantes do que a de 2020. Mas há entidades que esperam um aumento nas vendas.

Uma pesquisa da Alshop (Associação Brasileira de Lojistas de Shopping), feita em todo o país, mostrou que 62,5% do total de 1,2 mil associados fariam promoções em seus pontos de venda durante a Black Friday, enquanto 18,8% dos lojistas gostariam de participar da data, porém não conseguiriam devido ao aumento de custos que pressionam os preços e as margens de venda.   A Alshop espera um crescimento de 5% em relação a 2020.

Já a CNC (Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo) e o Ibevar (Instituto Brasileiro de Executivos de Varejo e Mercado de Consumo) preveem uma queda nas vendas em comparação com a mesma data no ano passado.

A CNC acredita que deve haver um recuo de 6,5% , enquanto o Ibevar avalia que apenas 5 em 28 categorias de produtos devem ter crescimento na intenção de compra do consumidor, em relação a 2020: jogos eletrônicos – Nintendo Switch (25,7%), bicicletas (18,1%), fones de ouvido (20%), consoles de videogame (0,8%) e calçados (0,5%).

Últimas