Economia Crédito imobiliário com IPCA depende de aval do BC, diz Caixa

Crédito imobiliário com IPCA depende de aval do BC, diz Caixa

Mudança pode reduzir de 30% a 50% a prestação da casa própria, segundo presidente do banco, e não será mais alta que a praticada atualmente

Guimarães: prestações reduzidas

Guimarães: prestações reduzidas

Adriano Machado/Reuters - 22.11.2018

O presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães, afirmou que o banco pretende lançar uma modalidade de crédito imobiliário atrelado ao índice de inflação (IPCA) nas próximas semanas, mas que ainda depende de aval do Banco Central para fazê-lo.

"O crédito imobiliário com base no IPCA mais alguma taxa pode reduzir de 30% a 50% a prestação da casa própria", disse ele, em entrevista à rádio CBN.

De acordo com Guimarães, a modalidade não será mais alta que a praticada atualmente, que usa como referência a taxa referencial (TR) mais um porcentual.

A diferença entre o IPCA e a TR, conforme Guimarães, será mais do que compensada pela diferença no acréscimo ao índice de inflação.

"Enquanto hoje é TR mais 8%, 9%, na nova modalidade será IPCA, que está em 3%, 4% mais uma taxa de 4,0% a 4,5% como base", explicou o executivo.

Guimarães disse ainda que, do ponto de vista da venda dos recebíveis gerados a partir da carteira de crédito imobiliário do banco, que lidera o segmento com 70% de Market share, o mercado demonstra mais apetite por operações corrigidas por IPCA do que por TR.

Isso porque, conforme ele, a TR é corrigida pelo Conselho Monetário Nacional (CMN), mas não tem uso racional.

"Hoje, a TR está em 0%, mas já foi 8%. Não se controla a TR", acrescentou.