Novo Coronavírus

Economia Crise atual vai mudar atitude dos investidores, afirma diretor da XP

Crise atual vai mudar atitude dos investidores, afirma diretor da XP

Em palesta de abertura da Expert XP, Gabriel Leal avaliou que investimentos atrelados ao CDI vão oferecer baixa rentabilidade por um longo tempo

  • Economia | Do R7

Leal prevê 10 milhões de brasileiros investindo na Bolsa

Leal prevê 10 milhões de brasileiros investindo na Bolsa

Reprodução/XP

O sócio e diretor da XP Investimentos, Gabriel Leal, afirmou nesta terça-feira (14) que a crise atual causada pela pandemia do novo coronavírus "vai provocar uma mudança no comportamento do investidor", principalmente dos brasileiros.

Para Leal, o momento atual, com os juros reais próximos a zero, era algo impensável no Brasil e a situação deve persistir ainda por um longo período. "A realidade do mundo dos investimentos foi alterada. O CDI está baixo e vai permanecer baixo por um tempo longo", avaliou ele durante a palestra de abertura da Expert XP 2020.

Leia mais: Investidores podem começar a ‘perder dinheiro’ na renda fixa

"Antes, os investidores compravam ativos atrelados ao CDI. Foi assim pelo menos em todas as crises dos últimos 25 anos. O investidor tinha incerteza, corria e comprava o CDI. [...] Isso faz essa crise ser totalmente diferente, porque o CDI não está mais na faixa de 13%, 14% ou 15% ao ano", disse Leal.

Leal recorda que um investimento de R$ 100 mil atrelado ao CDI se tornava R$ 232 mil no período de 10 anos. "Hoje, a rentabilidade é quase 50% inferior", explicou ele ao detalhar as mudanças de cenário.

Com as mudanças recentes, o diretor da XP destacou o aumento no número de investidores na Bolsa de Valores nos últimos dois anos e cogita que o Ibovespa pode alcançar os 10 milhões de investidores nos próximos anos. "O comportamento é saber investir e não apenas guardar seu dinheiro em taxas atreladas ao CDI", recomendou Leal.

O diretor, no entanto, alertou para a necessidade de não alocar todo o patrimônio em um único investimento. "Os investidores vão ter que aprender a tolerar volatilidades para ter mais retornos ao longo do tempo", pontou ele.

Últimas