Economia Desemprego cai e atinge 12,2 milhões de brasileiros, diz IBGE

Desemprego cai e atinge 12,2 milhões de brasileiros, diz IBGE

Nível de informalidade bate recorde, com 11,7 milhões de pessoas trabalhado sem carteira assinada

Inflação oficial

Trabalho informal bateu recorde

Trabalho informal bateu recorde

CESAR BORGES/FOTOARENA/ESTADÃO CONTEÚDO - 06.11.2018

O desemprego caiu no Brasil e atinge 12,2 milhões de pessoas no trimestre encerrado em novembro, segundo os dados da Pnad Contínua (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua) divulgados nesta sexta-feira (28) pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). 

Esta foi a oitava queda mensal do indicador. O resultado considera o trimestre de setembro a dezembro deste ano. O mesmo período no ano anterior registrava taxa de desemprego de 12%. Houve redução de 364 mil desempregados nesta comparação. 

Mesmo com a queda, o valor ainda representa quase o dobro do patamar de 2014, antes da crise econômica, quando a taxa de desocupação registrava 6,5%. 

Em contrapartida, a informalidade atingiu nível recorde desde 2012, ano em que começa a série histórica da pesquisa. O Brasil possui 11,7 milhões de trabalhadores sem carteira assinada, número que subiu em comparação com o trimestre anterior (mais 498 mil pessoas), de junho a agosto, e em relação ao mesmo trimestre de 2017 (mais de 522 mil pessoas). 

A população ocupada (93,2 milhões) também foi a maior da série histórica, aumentando mais 1,1 milhão de pessoas (1,2%) em relação ao trimestre de junho a agosto de 2018 e 1,2 milhão de pessoas (1,3%) em relação a igual trimestre de 2017.

O salário dos brasileiros não apresentou grandes variações no período: hoje o trabalhador recebe, em média, R$ 2.238. O valor era de R$ 2.235 no mesmo período de 2017 e de R$ 2.242 no trimestre anterior.