Economia Dificuldade para obter insumos atinge 68% da indústria brasileira

Dificuldade para obter insumos atinge 68% da indústria brasileira

Pesquisa da CNI também aponta percepção de aumento no preço das matérias-primas e expectativa de alguma solução apenas em 2021

Empresas que importam insumos sofreram o impacto da desvalorização do real

Empresas que importam insumos sofreram o impacto da desvalorização do real

Pixabay

Após lidar com a quase completa paralisação das atividades por conta da pandemia, a indústria brasileira enfrenta agora a falta de estoques, insumos e matérias-primas. É o que mostra sondagem feita pela CNI (Confederação Nacional da Indústria) divulgada nesta sexta-feira (23).

Leia também: Prévia da confiança da indústria indica salto a máxima desde 2011

De acordo com a pesquisa, 68% das empresas consultadas estão com dificuldades para obter insumos ou matérias-primas no mercado doméstico. Já 56% das empresas que utilizam insumos importados regularmente encontram dificuldades em adquiri-los no mercado internacional.

Outro ponto do levantamento que merece destaque é a percepção de alta nos preços por 82% dos entrevistados. Desses, 31% falam em alta acentuada.

A pesquisa contou com a participação de 1.855 empresas, entre 1º e 14 de outubro, em 27 setores das indústrias de transformação e extrativa.

O diretor de Desenvolvimento Industrial da CNI, Carlos Abijaodi, lembra que as empresas optaram por reduzir estoques nos primeiros meses da pandemia. “A economia reagiu em uma velocidade acima da esperada. Assim, tivemos um descompasso entre a oferta e a procura de insumos. No auge da crise, vimos a desmobilização das cadeias produtivas e baixos estoques. Além disso, temos a forte desvalização do real, que contribuiu para o aumento do preço dos insumos importados”, explica.

A pesquisa mostra que 44% das empresas consultadas afirmam que estão com problemas para atender seus clientes. Essas empresas apontam entre as principais razões para a dificuldade de atendimento a falta de estoques, apontada por 47% das empresas, demanda maior que a capacidade de produção, com 41% e incapacidade de aumentar a produção, com 38%. 

Do total de empresas que não conseguem aumentar a produção, 76% alegam que não conseguem ampliar sua produção pela falta de insumos. E o problema deve durar pelo menos mais três meses.

Mais da metade (55%) das empresas acredita que a capacidade de atender clientes se normalizará apenas em 2021.

A percepção sobre o mercado de insumos é menos otimista. Entre os entrevistados, 73% acreditam que só deve melhorar apenas em 2021.

Pequenas empresas são mais afetadas

A situação é mais grave entre as empresas de pequeno porte. Nesse segmento, 70% foram afetadas pela falta de insumos, ante 66% nas grandes. O percentual de empresas menores que afirmam enfrentar muita dificuldade é maior, alcançando 28% entre as pequenas empresas; entre as médias, 27%.

Últimas