Economia Distribuidoras de gás do centro-sul voltam a buscar novos fornecedores além da Petrobras

Distribuidoras de gás do centro-sul voltam a buscar novos fornecedores além da Petrobras

ENERGIA-GAS-CONTRATACAO-DISTRIBUIDORAS:Distribuidoras de gás do centro-sul voltam a buscar novos fornecedores além da Petrobras

Reuters - Economia

Por Marta Nogueira

RIO DE JANEIRO (Reuters) - As distribuidoras de gás canalizado do centro-sul do Brasil lançaram nova chamada pública para aquisição de gás natural nesta segunda-feira, em mais um passo que busca diversificar fornecedores além da Petrobras.

A chamada pública, conforme informação das distribuidoras envolvidas, tem potencial para a contratação de mais de 6 milhões de metros cúbicos por dia (m³/dia), para entrega entre 2022 e 2024.

A iniciativa está em linha com programa do governo federal Novo Mercado de Gás, que busca reduzir o papel da Petrobras no segmento, abrindo espaço para competição, novos investimentos e redução de preços.

"A nossa batalha aqui é tentar abrir novos supridores. Fala-se muito em novo mercado de gás para reduzir preço, mas a gente entende que o preço só será reduzido quando tivermos novos supridores", disse à Reuters Rafael Lamastra Jr, o diretor-presidente da distribuidora Compagas, uma das empresas envolvidas no processo.

"Ter o mesmo supridor, fazendo tudo igual, do jeito que foi feito anteriormente, como vai reduzir preço? Tem que tentar fazer diferente", afirmou ele, por telefone.

A nova chamada busca suprir a demanda das distribuidoras Compagas (PR), SCGás (SC), Sulgás (RS), GasBrasiliano (Noroeste de SP) e MSGás (MS). Juntas, elas respondem por 15% do mercado de distribuição de gás no Brasil, atendendo mais de 140 mil consumidores, segundo a Associação Brasileira das Empresas Distribuidoras de Gás Canalizado (Abegás).

A iniciativa tem potencial para a contratação de até 3,5 milhões de m³/dia, para o período 2022/2023, com o objetivo de complementar os volumes parcialmente já contratados pelas distribuidoras.

Em 2024, os volumes são indicativos e projetam o atendimento potencial total dos mercados das distribuidoras participantes do processo, superando então a marca de 6 milhões de m³/dia.

Em uma chamada pública anterior, iniciada em 2019, as distribuidoras do centro-sul já haviam buscado novos fornecedores, mas terminaram contratando todos os volumes previstos, de quase 10 milhões de m³/dia, com a Petrobras, principalmente por gargalos no setor de transporte.

Mas a perspectiva para a nova chamada, segundo Lamastra, é positiva, diante do interesse dos agentes envolvidos em resolver entraves anteriores e também do surgimento de novos interessados na área de gás natural liquefeito (GNL).

Apoiadas pela Abegás, as distribuidoras vêm conversando com supridores potenciais, com integrantes do setor de transporte, com a reguladora ANP, dentre outros, em busca de soluções, segundo Lamastra.

Em 10 de março, está programado um workshop com supridores para tratar do tema.

Em uma iniciativa paralela, distribuidoras de gás natural de cinco Estados do Nordeste estão na fase final de chamada pública para a compra de gás de novos supridores. Os editais foram publicados conjuntamente por Copergás (PE), Algás (AL), CEGÁS (CE), Potigás (RN) e Sergas (SE), em 17 de setembro passado, destinado à aquisição do produto a partir de 1º de janeiro de 2022.

(Por Marta Nogueira)

Últimas