Economia Dois a cada 10 brasileiros recorrem ao cheque especial, diz pesquisa

Dois a cada 10 brasileiros recorrem ao cheque especial, diz pesquisa

Levantamento feito pelo SPC Brasil e CNDL mostra que, entre as pessoas que usam a modalidade, 38% não analisam as tarifas e juros

Pesquisa mosta que 34% dos entrevistados não pagaram as dívidas

Pesquisa mosta que 34% dos entrevistados não pagaram as dívidas

Ingrid Alfaya/R7

Dois em cada dez brasileiros recorreram ao cheque especial nos últimos 12 meses, segundo pesquisa divulgada pelo SPC (Serviço de Proteção ao Crédito) e CNDL (Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas) nesta quarta-feira (11). 

Leia mais: Vendas do comércio varejista crescem em julho, diz IBGE

Os dados também mostram que 40% dos usuários têm o hábito de utilizar o saldo do cheque especial todo mês. As classes mais baixas (C, D e E) da população apresentam esse comportamento em maior evidência com 48%.

O cheque especial é uma linha de crédito pré-aprovada pelos bancos, que é utilizada pelos usuários quando não há saldo suficiente para cobrir os débitos em contas bancárias. Segundo dados do Banco Central, em média, os juros cobrados pelos bancos são de 320% ao ano, maiores que os de cartão de crédito rotativo.

Pagamento de contas

Entre as principais motivações que levam ao uso do cheque especial, há um misto de falta de controle das finanças e eventos inesperados. Doenças ou compras de medicamento (25%) e descontrole nos pagamentos das contas (25%) se destacam no quesito.

Pessoas com contas prestes a vencer (23%) e necessidade de manutenção do automóvel ou moto (18%) também são motivos mencionados nas entrevistas. 

Tarifas e juros

O índice das pessoas que não analisaram as tarifas e juros envolvidos é de 38%. Outros 25% alegaram precisar do valor independentemente de outras questões, 7% não perceberam que entraram no cheque especial e 6% por falta de interesse. 

Outro dado preocupante é a quantidade de pessoas (34%) que não pagaram a dívida e com isso ficaram com "nome sujo".

José Vignoli, educador financeiro do SPC Brasil, afirma que é necessário estar atento ao uso do cheque especial. "O consumidor tem de ter clareza de que o dinheiro incorporado ao seu saldo bancário não é seu. Se usar, terá de devolver, e pagando juros altíssimos, afinal, se trata de um tipo de empréstimo. Muitas vezes, as pessoas acabam sendo impulsivas ou ingênuas em aceitarem uma oferta sem analisar suas condições de pagamento", destaca Vignoli.

Metodologia

O levantamento entrevistou 805 consumidores, mas somente aqueles que disseram ter utilizado cheque especial ou empréstimo continuaram participando. As fontes são maiores de 18 anos, de ambos os gêneros, diferentes classes sociais e moradores das 27 capitais do Brasil. A margem de erro é de no máximo 3,4 pontos percentuais para uma margem de confiança de 95%.

*Estagiário do R7, sob supervisão de Ana Vinhas