China

Economia Dólar fecha a R$ 4,48 e tem fevereiro mais forte em 5 anos

Dólar fecha a R$ 4,48 e tem fevereiro mais forte em 5 anos

Moeda à vista fechou com alta de 0,13% na venda, nova máxima histórica para um encerramento. Durante os negócios, registrou pico de R$ 4,51

  • Economia | Do R7, com Reuters

Dólar registrou pico de R$ 4,51 ao longo do pregão desta sexta-feira (28)

Dólar registrou pico de R$ 4,51 ao longo do pregão desta sexta-feira (28)

Pixabay

O dólar comercial operou em alta pelo oitavo dia seguido nesta sexta-feira (28), renovando a máxima recorde, e fechou o dia a R$ 4,48, uma valorização de 0,13%, motivado pela disseminação do coronavírus para fora da China e de temores de uma recessão econômica global e o risco político às reformas, após o presidente da República, Jair Bolsonaro, convocar manifestação de rua contra o Congresso.

Leia também: Como investir os primeiros R$ 100 na Bolsa de Valores

Durante os negócios, a moeda norte americana foi a R$ 4,5150, novo pico do pregão. No entanto, terminou o dia mais perto das mínimas, acompanhando a melhora de sinal em Nova York e no Ibovespa após o chairman do Federal Reserve dizer que o banco central dos Estados Unidos está pronto para proteger a economia dos EUA.

Com esse resultado, fevereiro termina marcado por recordes sequenciais para a moeda norte-americana no Brasil. O dólar teve a maior alta para o mês de fevereiro desde 2015 e, nesta sexta, engatou a oitava sessão consecutiva de ganhos --mais longa sequência desde 2005.

Leia também: Bolsa bate ouro e lidera entre melhores investimentos do ano

Além do impacto da epidemia do coronavírus, do lado doméstico, piora nas expectativas para a economia, maiores chances de novos cortes de juros, entendimento de que o governo e o Banco Central desejam um dólar mais apreciado e ruídos políticos colaboraram para uma nova e expressiva alta do dólar.

Na semana, a cotação saltou 2,00%, depois de ter subido 2,14% na semana anterior.

Em fevereiro, o dólar avançou 4,56%, maior alta para o mês desde 2015, quando atingiu 6,19%. Em janeiro de 2020, a moeda já havia disparado 6,80%.

No acumulado de 2020, o dólar tem alta de 11,67%. Dentre 33 rivais, apenas contra o rand sul-africano o dólar sobe mais no período (+12%).

Ibovespa chega a 104.171 pontos e tem alta de 1,15%

O Ibovespa, principal indicador de desempenho das ações negociadas na Bolsa de Valores, fechou a sexta-feira com 104.171 pontos e alta de 1,15% e um volume financeiro da sessão de R$ 40 bilhões. 

O fechamento do pregão no azul foi apoiado nas ações de bancos. Ainda assim, o índice registrou forte perda semanal.

Na semana mais curta em razão do Carnaval no Brasil, o Ibovespa caiu 8,36%. Em fevereiro, o declínio foi de 8,4%, resultando em perda de 9,9% em 2020.

Últimas