Dólar fecha em queda, mas defende R$5 e tem maior alta semanal desde agosto de 2018

SÃO PAULO (Reuters) - O dólar voltou a fechar em firme queda ante o real nesta sexta-feira, com o real entre as divisas de melhor desempenho à medida que o mercado corrigiu parte do movimento recente diante da percepção de um Banco Central mais atuante e de maior oferta global de liquidez na esteira de medidas emergenciais do banco central dos Estados Unidos.

O dólar à vista caiu 1,50%, a 5,0274 reais na venda, depois de na véspera perder 1,83% --maior queda diária desde outubro de 2018.

Durante os negócios, a cotação chegou a cair para 4,9833 reais na venda, mas retomou algum fôlego e acabou defendendo o patamar psicológico de 5 reais.

Apesar do ajuste de baixa das últimas duas sessões, o dólar ainda terminou a semana acumulando apreciação de 4,46%, a mais forte desde a semana finda em 24 de agosto de 2018 (+4,85%).

Na B3, o dólar futuro tinha queda de 1,28% nesta sexta, a 5,0345 reais, às 17h10.

None

(Por José de Castro)