Dólar flerta com R$4,80 e bate novo recorde apesar de maior atuação do BC com moeda à vista desde 2009

SÃO PAULO (Reuters) - O dólar escalou a novos recordes históricos nesta segunda-feira, aproximando-se de 4,80 reais e com a volatilidade saltando a picos desde 2018, conforme os mercados globais foram varridos por uma onda de aversão a risco diante do colapso dos preços do petróleo e de temores econômicos relacionados ao coronavírus.

O dólar até saiu das máximas da sessão, mas não sem antes o Banco Central vender um total de 3,465 bilhões de dólares em moeda spot. É o maior volume a ser liquidado em um mesmo dia desde pelo menos 11 de maio de 2009.

No fechamento das operações no mercado à vista, o dólar saltou 1,97%, a 4,7256 reais na venda, depois de alcançar 4,7950 reais, novo pico histórico intradiário.

A alta da moeda no fechamento é a mais forte desde 6 de novembro de 2019 (+2,22%).

Na B3, o dólar futuro de maior liquidez tinha ganho de 2,19%, a 4,7355 reais, após bater 4,7990 reais na máxima.

None

(Por José de Castro)