Novo Coronavírus

Economia Dólar renova recorde acima de R$ 5,58 com tensões políticas

Dólar renova recorde acima de R$ 5,58 com tensões políticas

Mercado reage a tensão em torno da exoneração do diretor-geral da PF e de uma possível demissão do ministro da Justiça

Reuters
Dólar bateu novo recorde nesta sexta-feira (24)

Dólar bateu novo recorde nesta sexta-feira (24)

Rick Wilking/Reuters

O dólar renovava máximas recordes logo após a abertura desta sexta-feira, e chegou a superar R$ 5,58, com a tensão política em torno da exoneração do diretor-geral da PF (Polícia Federal), Maurício Valeixo, e de uma possível demissão do ministro da Justiça, Sergio Moro, elevando a pressão sobre a moeda brasileira.

Quem é Maurício Valeixo, braço direito de Moro e exonerado por Bolsonaro do comando da PF

Às 9h12, o dólar avançava 0,81%, a R$ 5,5725 na venda. Na máxima do dia, tocada minutos após a abertura, a moeda norte-americana chegou R$ 5,5835, novo recorde histórico.

Na véspera, a divisa à vista registrou a máxima histórica para fechamento de R$ 5,5278, alta de 2,19%.

Em meio à disparada do dólar, o Banco Central anunciou para esta sexta-feira leilões de linha de dólar e de contratos de swap cambial para rolagem de vencimentos em ambos os instrumentos.

O primeiro será para rolagem de linhas que expiram em 5 de maio de 2020. Serão duas operações ("A" e "B") a serem realizadas, simultaneamente, entre 10h15 e 10h20. Um máximo total de 3 bilhões de dólares será disponibilizado entre os dois leilões. Depois, entre 11h30 e 11h40, o BC vai ofertar até 10 mil contratos de swap cambial (500 milhões de dólares) para rolagem do vencimento 1º de junho de 2020.

Últimas