Brasileiro deve manter controle financeiro e mais hábitos após crise

Especialistas afirmam que planejamento, consumo consciente e demais costumes da pandemia devem permanecer após retomada da economia

Consumidor deve acompanhar abertura gradual da economia com cautela

Consumidor deve acompanhar abertura gradual da economia com cautela

Rivaldo Gomes/Folhapress - 23.06.2020

A pandemia de coronavírus afetou a economia e fez com que muitas famíias desenvolvessem hábitos financeiros para economizar e preservar o orçamento. Mesmo com a retomada gradual das atividades no país, especialistas dizem que é importante manter o controle de gastos.

Leia mais: Confira 5 dicas para não sair gastando na volta do comércio

Diversas famílias foram obrigadas a rever os orçamentos e, por isso, é necessário analisar a vida financeira antes e depois da quarentena. 

"Para adaptar à nova realidade, saiba seu custo de vida e faça o controle de seus gastos", sugere Teresa Tayra, educadora financeira.

Saber como você gasta o que ganha é mais importante do que o valor que se ganha
Teresa Tayra

O controle orçamentário deveria ser uma prática comum entre as pessoas, segundo Fábio Gallo, professor de finanças da FGV (Fundação Getúlio Vargas).

"O rigor orçamentário deverá ser mantido até a economia voltar à normalidade, ter empregos e a renda voltar a crescer."
Fávio Gallo

Leia mais: Você sabia que pode autossabotar seu orçamento? Como identificar?

Nesse momento de reabertura do comércio, a ansiedade pode contribuir para gastos desnecessários. Por isso, não deixe que momentos de alegria sejam motivo de descontrole com seu cartão de crédito, orienta Teresa.

A pedido do R7 Economize, Teresa e Gallo listaram alguns hábitos que as famílias devem manter após o fim do isolamento social para garantir a sua saúde financeira. Confira!

Veja também: É hora de negociar aluguel, conta de telefone, TV a cabo e outros gastos?

1- Planejamento de compras

A quarentena fez com que as famílias planejassem suas compras com antecedência para reduzir as idas aos supermecados e reduzir as chances de contágio do novo coronavírus. 

Essa é uma prática que deveria ser mantida pelos consumidores, segundo Teresa.

Veja mais: Quer cortar gastos? Listamos 10 dicas para ajudar a sair do vermelho

"Fazer uma lista com todos os itens que faltam em casa antes de ir ao supermercado diminui a chance de incluir itens desnecessários, além de possibilitar que você faça uma estimar prévia dos gastos", aconselha Tayra.

2- Fim do consumo por impulso

Na quarentena, com as lojas fechadas, muitas pessoas conseguiram perceber que conseguem controlar os desejos imediatistas e que dá para evitar comprar por impulso.

Leia também: Como investir os primeiros R$ 100 na Bolsa de Valores

"O julgamento da necessidade deve ser objetivo", afirma Fábio Gallo.

3- Mais opções de lazer alternativo

Com parques e shoppings fechados, além da proibição de frequentar praias, as pessoas tiveram de usar a criatividade para relaxar e entreter toda a família.

Veja mais: Bancos oferecem antecipação da restituição do IR; vale a pena?

"Muitas pessoas foram criativas com seu entretenimento. Criaram sessão pipoca, produziram jantares diferenciados para distrair a família e ficar em casa. Ações desse tipo ajudam a economizar nos gastos mensais da casa", comenta Teresa.

4- Controle de gastos mais rígido

Definir quanto o orçamento comporta antes de ir às compras é um hábito que deve ser manter presente na vida do brasileiro.

"Sempre se pergunte: preciso disso mesmo? É imprescindível comprar nesse momento? Posso pagar?", sugere Teresa.

5- Controlar, economizar e planejar

Gallo destaca o novo hábito que foi adquirido pelo brasileiro de controlar os gastos precisa ser mantido e aprimorado.

"Manter o hábito de controlar todos os gastos, traçar metas claros para o futuro da família e sua vida financeira é importante para atingir todos os seus objetivos", disse o professor.

*Estagiário do R7, sob supervisão de Márcia Rodrigues