Como investir para fazer a viagem dos seus sonhos

Guardar dinheiro exige disciplina e optar pelos fundos de investimentos para criar uma reserva pode ajudar a desenvolver essa aptidão. Saiba como decidir pelo melhor

Investir antes de viajar é uma tática infalível para fugir das dívidas no futuro

Investir antes de viajar é uma tática infalível para fugir das dívidas no futuro

Pixabay

Viajar é uma das atividades mais prazerosas que existem. Conhecer novos lugares, outras culturas, relaxar e distrair a mente. Todos os aspectos envolvidos são motivo de euforia e antecipação. A questão é que fazer uma viagem do jeito que se sonha exige uma soma considerável em dinheiro; e ela nem sempre se encontra disponível na conta corrente do interessado.

Para realizar a viagem dos sonhos, que pode ser percorrer o Caminho de Santiago ou dar a volta ao mundo, é necessário um bom planejamento. Além de muita organização pessoal e financeira, é claro. Todo projeto envolve uma série de etapas fundamentais e, no caso de uma grande viagem, o marco zero é mesmo a reserva financeira. Sem ela, fica praticamente impossível cumprir as demais. O lado bom é que começar a investir não é um bicho-de-sete-cabeças e é possível iniciar a qualquer tempo, com qualquer valor.

O primeiro passo é encontrar uma corretora confiável, que ofereça segurança e um bom atendimento. Na CM Capital, os recursos das plataformas online e do aplicativo para aparelhos móveis facilitam a vida dos novos investidores. Por meio do sistema de home broker ou pelo app, é possível acompanhar o comportamento do mercado financeiro ou realizar aportes em carteiras com produtos interessantes para o seu objetivo. Na dúvida, consultores especialistas funcionam como verdadeiros guias do mundo dos investimentos.

Simule seu investimento na CM Capital

Existe um valor correto para investir mensalmente e viabilizar a viagem desejada? Depende do seu roteiro: tempo de investimento até a data da viagem, valor estimado desse projeto... enfim, as variáveis são inúmeras, mas o certo é que os fundos de investimentos de renda fixa, de médio e longo prazo, são sempre os mais adequados para grandes aquisições futuras. O menos indicado, seja qual for a sua meta, é deixar o dinheiro parado na poupança. De todas as alternativas, é a que oferece piores margens de rendimento.

Pesquisar antes de investir

Antes de optar pelo destino, é melhor pesquisar como aplicar as reservas

Antes de optar pelo destino, é melhor pesquisar como aplicar as reservas

Pixabay

Ao decidir que vai mesmo entrar no universo dos fundos de investimentos, o ideal é pesquisar muito. Fazer o tal benchmark financeiro, que se trata de medir e comparar a performance das aplicações na renda fixa (ou variável, mas no caso de uma viagem esta não seria uma opção razoável). Veja a seguir quais índices devem ser avaliados para entender a melhor forma de investir para viajar com conforto e segurança no futuro.

Inflação: fundos que rendem abaixo desse índice devem ser descartados, pois não há como repor uma perda como essa;

Taxas DI e Selic: a primeira é uma tarifa de juros incidente sobre operações de crédito entre instituições, enquanto a segunda é a taxa básica de juros;

Ibovespa: é o principal a ser observado nas aplicações de renda variável e contempla, ainda, outros quatro índices – Brasil 50, Small Cap, Financeiro e Imobiliário;

Ptax: taxa de câmbio que utiliza as médias do dólar ao longo de quatro períodos no dia, valor informado por uma média que os dealers calculam com uma referência de dois dias úteis.

CM Capital, a corretora dos grandes players agora também no varejo