Compra por impulso pode levar ao endividamento. Veja como evitar

Para a educadora financeira Teresa Tayra as promoções são ótimas oportunidades para quem já planejava comprar, desde que o gasto caiba no bolso

Educadores pedem cautela nas promoções

Educadores pedem cautela nas promoções

GABRIELA BILó/ESTADÃO CONTEÚDO

Em momentos de crise econômica, como a que estamos vivendo com a pandemia do novo coronavírus, todo cuidado é pouco para não gastar demais e comprometer suas finanças.

Leia mais: Confira 5 dicas para não cair nas promoções da quarentena

Um levantamento feito pela CNC (Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo) apontou que o endividamento atingiu 67,5% das famílias brasileiras em agosto.

Leia mais: Muitas dívidas? Veja quais contas você deve priorizar o pagamento

Teresa Tayra, educadora financeira, afirma que "as promoções são ótimas oportunidades para quem já planejava comprar algo". Ela ressalta, porém, que só é para gastar se tiver condições

Outro educador financeiro, Ivan Sanches, diz que a maioria das pessoas tem o orçamento apertado, ou seja, o cobertor é curto.

Para ele, "se a pessoa se exceder em algum tipo de gasto, pode faltar em outro".

As compras por impulso podem ocorrer por vários motivos. Só para citar alguns: ansiedade, aquele sentimento 'nossa, eu trabalho tanto, acho que eu mereço uma compensação'.
Ivan Sanches

No entanto, diz o educador, após a compra de algo desnecessário vem aquele sentimento de culpa por comprometer o orçamento

Leia mais: Confira 8 dicas minimalistas para evitar compras por impulso

Confira algumas dicas elaboradas pelos educadores:

1- Não Compre por impulso

É importante estar atento aos "gatilhos" mentais que despertam o desejo de comprar algo que não precisa só por estar em promoção.

Leia mais: Consumidor terá sua nota de crédito elevada ao pagar parcela de dívida

"Anúncios como 'aproveite somente essa semana', 'último dia da oferta', '80% de desconto' às vezes são armadilhas e acionam nosso inconsciente a comprar", alerta Teresa.

2) Você realmente precisa?

Avalie se você realmente precisa comprar o item em promoção. Sanches sugere como escape que o consumidor vá para casa e pense sobre o produto para ver qual a sua necessidade para adquiri-lo.

"A pandemia nos mostrou que podemos viver bem com menos", comenta o educador.

Teresa orienta o consumidor que precisa do produto a não fechar o negócio antes de ver outras opções.

"Pesquise os preços em diversos sites antes de confirmar a compra", orienta a educadora

3) Evite parcelar as compras

Priorize compras à vista, pois nesse formato é possível negociar ainda mais descontos.

4 - Não empreste seu cartão de crédito

Nunca, em hipótese alguma, empreste seu cartões de crédito a parentes, amigos e terceiros para aproveitar as promoções.

"São inúmeros os casos de pessoas se endividaram após emprestar seus cartões e tiveram de assumir um gasto que não era seu", diz Teresa.