Economize Desconto para comprar imóvel cai ao menor patamar da história

Desconto para comprar imóvel cai ao menor patamar da história

Raio-X FipeZap diz que abatimento no valor dos anúncios foi obtido por 67% dos que realizaram sonho da casa própria no fim de 2020

  • Economize | Do R7

Maioria dos brasileiros dizem que preços estão altos

Maioria dos brasileiros dizem que preços estão altos

Alexandre Garcia/R7

Conquistado por 67% dos brasileiros que realizaram o sonho da casa própria nos últimos três meses de 2020, o desconto médio obtido sobre o valor dos anúncios foi de 11%. O valor, três pontos percentuais inferior ao registrado em janeiro, é o menor já anotado pelo Raio-X FipeZap.

De acordo com o indicador divulgado nesta sexta-feira (12), a média histórica do desconto fornecido nas transações é de 13%. Já entre todas as comprar concluídas, o abatimento médio foi de 7% ao final do ano passado, patamar semelhante ao obtido somente no terceiro trimestre de 2015.

Leia também: Financiamento de imóveis com recursos da poupança cresce 57%

"É possível notar que o percentual de transações com desconto elevou-se entre maio de 2014 (53%) e junho de 2016 (70%). Após recuar para 63% na primeira metade de 2017, o percentual de transações voltou a exibir tendência de crescimento, encerrando dezembro de 2019 em 70%. O percentual oscilou ao longo de 2020, exibindo recuo nos últimos meses do ano", destaca o Raio-X ao avaliar a quantidade de compras com desconto.

Preço

Entre aqueles que adquiriram imóveis recentemente, a parcela que considerava os preços atuais “altos ou muito altos” subiu 7 pontos percentuais e alcançou 57% ao final de 2020. Na mesma comparação com o último trimestre do ano anterior, o volume de compradores que avaliam os preços como “razoáveis” reduziu de 34% para 32% e os que classificam os valores como “baixos ou muito baixos” passaram de 12% para 9%.

Já para aqueles que pretender realizar o sonho da casa própria nos próximos três meses, os preços são “altos ou muito altos” para 65% dos entrevistados. Ao final de 2019, o percentual era de 61%. Para 26%, os valores estão em níveis “razoáveis” e apenas 4% veem os preços “baixos ou muito baixos”.

A percepção pode ser justificada pela valorização de 3,7% no valor dos imóveis construídos em 2020, segundo dados do próprio FipeZap. A alta representou uma queda real de 0,78% no valor dos imóveis no Brasil, já que a inflação acumulada entre janeiro e dezembro do ano passado foi de 4,52%.

De acordo com o indicador, o preço médio do metro quadrado construído no Brasil figura na casa dos R$ 7.524. Significa dizer que para se tornar proprietário de um apartamento padrão, com 65 m² e até dois dormitórios, é necessário desembolsar cerca de R$ 490 mil.

Últimas