Economize Devo manter meu título na renda fixa mesmo com baixo rendimento?

Devo manter meu título na renda fixa mesmo com baixo rendimento?

Especialistas avaliam que títulos atrelados ao CDI comprados no passado ainda repõem as perdas com a inflação e mantêm o poder de compra

  • Economize | Alexandre Garcia, do R7

Simulação mostra queda de 66% da rentabilidade dos títulos

Simulação mostra queda de 66% da rentabilidade dos títulos

Pixabay

Os títulos de renda fixa atraíram muitos investidores que buscavam ganhos satisfatórios e sem correr risco. Ainda presente em muitas carteiras, a modalidade perdeu rentabilidade com as quedas da taxa básica de juros, a Selic, ao menor patamar da história e tem apenas garantido o poder de compra.

Uma simulação feita por Guilherme Artmann, head de renda fixa da Easynvest, mostra que a rentabilidade mensal de um investimento no valor de R$ 1.000 feito em dezembro de 2017, com vencimento em dezembro de 2021, desabou 66% na comparação com os ganhos a serem obtidos neste mês de agosto.

De acordo com o comparativo, a aplicação no CDB que paga 100% CDI (Certificado de Depósito Interbancário) tinha um retorno mensal de 0,56% no momento em que o patamar da Selic era de 7% ao ano. Atualmente, com a taxa básica a 2% ao ano, o mesmo investimento deve render apenas 0,19% neste mês.

Artmann explica que o CDB atrelado ao CDI comprado lá atrás ofereceu um retorno alto nos últimos anos e agora ainda garante a reposição da inflação. “Esse investidor vai realmente ter daqui para frente uma remuneração menor, mas a média do período ainda é bastante atrativa”, analisa ele.

“Esse cliente que é mais conservador vai precisar correr um pouco mais de risco se quiser um ganho adicional”

Guilherme Artmann, head de renda fixa da Easynvest

De acordo com Estevão Garcia, coordenador de cursos de pós-graduação da Fipecafi, a pandemia do novo coronavírus deixou o mercado mais volátil. Ele destaca que aquele investidor mais conservador “vai sofrer bastante e se acostumar a ter uma rentabilidade menor”.

“A curva da inflação tende a subir mais rápido do que a curva dos juros. Nesse caso, títulos ligados à inflação podem ter uma rentabilidade maior”

Estevão Garcia, coordenador de cursos de pós-graduação da Fipecafi

Últimas