Economize Dia das Crianças: bicicletas estão caras e livros são a melhor opção

Dia das Crianças: bicicletas estão caras e livros são a melhor opção

Segundo pesquisa da CNC, obras infantis foram as que tiveram menor variação de preços, com reajustes abaixo da inflação

  • Economize | Marcos Rogério Lopes, do R7

Livros infantis: a melhor escolha

Livros infantis: a melhor escolha

Pixabay

A questão econômica vai servir como estímulo à leitura no próximo Dia das Crianças. De acordo com levantamento da CNC (Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo), divulgado terça-feira (5), na comparação com 2020, o preço das obras infantis foi o que apresentou menor variação em relação a todas as opções de presente, com acréscimo de apenas 0,1% em um ano.

A confederação do comércio acredita que as vendas neste ano serão as melhores desde 2015, apesar de vários produtos não estarem com preços convidativos. 

“É muito difícil para o comerciante evitar repasses dos valores de bens e serviços ao consumidor final diante da inflação anualizada acima de 10%, segundo o IPCA-15", afirma o economista da CNC Fabio Bentes. 

O Dia das Crianças, comemorado em 12 de outubro, deve ser, portanto, de muitos livros de presente. Mas não de bicicletas, que subiram 15,9% desde outubro do ano passado. Doces e lanches aumentaram 12,3% e 10,2%, respectivamente. 

Bikes driblam falta de peças e aumentam vendas na pandemia

Abaixo da inflação do período, próxima de 10% em doze meses, também aparecem boas sugestões: os videogames ficaram 8,8% mais caros; sapatos, 4,5%; e brinquedos, 3,8%

A variação de preço está mesmo favorável à cultura. Não quer presentear, mas quer levar a criança a um cinema, teatro ou concerto? Aproveite, essa opção subiu 1,2% desde 2020.

A pesquisa da CNC deste ano não apontou nenhuma redução no preço dos presentes. Em 2020, na comparação com 2019, os brinquedos ficaram 7,4% mais baratos e os tênis, 5,7%.  

Últimas