Inflação

Economize Em um ano, cesta básica paulistana sobe mais que o dobro da inflação

Em um ano, cesta básica paulistana sobe mais que o dobro da inflação

Levantamento do Procon-SP mostra que produtos encareceram 22,1% nos últimos doze meses; IPCA do período é de 9,68%

  • Economize | Do R7

Alimentação foi a que mais pesou para os paulistanos

Alimentação foi a que mais pesou para os paulistanos

Paulo Whitaker/Reuters - 11/01/2017

O Procon de São Paulo divulgou nesta sexta-feira (17) que os produtos da cesta básica na capital do estado subiram 1,15% em agosto, acumulando alta de 21,18% nos últimos doze meses.

A variação da cesta básica paulistana entre julho e agosto de 2021 supera a inflação oficial recorde do período, de 0,87%, e é duas vezes maior que a remarcação de todos os preços registrados pelo IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo), do IBGE, em doze meses, de 9,68%.

O preço médio da cesta em 30 de julho era de R$ 1.064,79 e passou para R$ 1.077,01 em 31 de agosto, informa o Procon. O levantamente é feito pelo órgão em parceria com o Dieese (Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos). 

Arroz sobe em um ano quase oito vezes mais que o salário mínimo

O grupo alimentação apresentou a maior variação, 1,25%. Higiene pessoal teve alta de 0,49% e limpeza, de 0,28%. 

Os produtos que mais subiram no mês foram a batata , com impressionantes 27,30% de aumento no quilo; limpador multiuso (500 ml): 11,29%; frango Resfriado Inteiro (kg), com variação de 9,98%; biscoito maisena (pacote 200g), remarcado em 9,84%; e biscoito água e aal (pacote 200g), que ficou 7,73% mais salgado.

A cebola e o alho, por outro lado, tiveram as maiores quedas, com - 5,83% e - 5,04%, respectivamente.

Últimas