Entenda o que são fundos de investimento e veja como escolher um para investir

O R7 Afortunados e a CM Capital listam os 4 principais tipos de fundos de investimentos para quem quer uma alternativa além da poupança

Conhecer os tipos de fundos de investimento é a melhor estratégia para saber o que melhor atende o seu perfil

Conhecer os tipos de fundos de investimento é a melhor estratégia para saber o que melhor atende o seu perfil

Pixabay

Os fundos de investimento têm conquistado cada vez mais espaço no Brasil, principalmente para quem busca uma alternativa para sair da poupança e diversificar os investimentos. Além de contar com um gestor especializado para cuidar do seu dinheiro, os fundos atendem quem busca diversificar os investimentos e que não quer administrá-los de tão perto. Ao investir em um fundo, você adquire uma cota e, na CM Capital, possui fundos que podem iniciar o investimento a partir de R$100.

Um fundo de investimento é formado por uma carteira de ativos e é uma forma simples de fazer investimentos mais complexos. Cada investidor adquire uma cota, por isso, torna-se um cotista, e recebe orientação de um gestor sobre o andamento de determinado fundo. Mas, afinal, quais são os tipos de investimentos existentes?

A CM Capital, uma das principais corretoras do país, tem muitas opções de fundos de investimentos, sendo: conservadores, moderados ou até agressivos. Para quem quer entrar neste universo ou para quem quer diversificar ainda mais as ações. As principais são:

Curto Prazo
Os fundos de investimento de curto prazo aplicam recursos em títulos públicos federais ou privados que sejam pré-fixados (ligados ao CDI, Selic ou outros índices). O prazo médio dessa carteira é abaixo de 60 dias e prazo máximo de 375 dias. É um fundo indicado para investidores mais conservadores, que querem resgatar recursos com menos de um ano.

Este investimento é vantajoso porque tem alta liquidez, oferece garantia do resgate em curto espaço de tempo e menores riscos de reflexos nas oscilações da bolsa. No entanto, a rentabilidade não é a maior e os impostos podem ser altos.

Renda Fixa
O fundo de renda fixa é composto por investimentos com diversos ativos da renda fixa, como títulos públicos, LCI e LCA. Como o próprio nome já diz, a sua carteira visa rentabilizar um pouco acima da taxa básica de juros, tendo ganho de capital real. A Selic, por exemplo, pode ser usada como referência para esse grupo de investimentos. Porém, também existem fundos de Renda Fixa pós-fixados ou atrelados a outros indicadores de preços.

Essa é uma vantagem para os momentos em que há queda brusca na taxa de juros, já que os investimentos em renda fixa possuem uma maior estabilidade e segurança. O ponto negativo é que, caso a ocorra uma grande valorização da Bolsa, não é possível aproveitar o momento, já que a renda esta atrelada a títulos públicos ou privados.

Simule seu investimento na CM Capital

Multimercados
Se você tem um perfil moderado ou agressivo, esse fundo de investimento pode ser bom. Como o próprio nome já diz, ele mistura diferentes tipos de investimentos para oferecer rentabilidade maior. A ideia é que quanto maior o risco, maiores também são as chances de obter retornos. O risco, no entanto, é uma desvantagem desse tipo de investimento. Por outro lado, com essa diversificação, os fundos multimercado se ajustam facilmente às mudanças.
Se você possui um prazo de investimento superior a um ano, pode ser uma excelente oportunidade.

Fundos de Ações
Para que um fundo de investimento seja considerado fundo de ação é necessário que pelo menos 67% da carteira de ações seja negociado na bolsa de valores. Investidores com perfil mais arrojado, que procuram por rentabilidade alta sem retorno imediato, podem seguir nesse investimento. Uma das maiores vantagens é a possibilidade de rentabilidade, que é muito maior do que a oferecida pelos outros investimentos. Mas é importante que o investidor esteja disposto a correr um alto risco.

Como escolher um fundo
De acordo com a CM Capital, é fundamental que o investidor analise seus objetivos antes de optar por um fundo de investimento. É importante ter uma meta final traçada, um montante que se pretende investir e o período de tempo já determinado antes de tomar a decisão final.

Também é importante saber quais são as taxas cobradas em cada tipo de investimento. Quando um investidor se torna cotista em um fundo de investimento, ele entrega o dinheiro para uma pessoa investir e orientar, logo, existem  taxas administrativas que devem ser consideradas pelo investidor.

CM Capital: a corretora dos grandes players institucionais agora no varejo