Economize Feira livre: preço da batata-doce, laranja e banana está em queda

Feira livre: preço da batata-doce, laranja e banana está em queda

Pesquisa da Ceagesp aponta frutas, verduras e legume que estão mais em conta e mais caro. Confira a lista antes de sair comprando!

  • Economize | Márcia Rodrigues, do R7

Kilo da batata doce rosada varia de R$ 1,61 a R$ 2,74 no atacado, segundo Ceagesp

Kilo da batata doce rosada varia de R$ 1,61 a R$ 2,74 no atacado, segundo Ceagesp

Pixabay

Todas as semanas, a Ceagesp (Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo) divulga quais frutas, legumes e verduras estão com o preço mais em conta, estável ou registraram alta.

Em julho, o índice Ceagesp apontou alta de 11% no hortifruti e pescados de forma geral. O grupo que registrou a maior elevação, 41,36%, foi o de legumes.

Na sequência aparecem:

• Verduras (13,88%);
• Frutas (8,56%);
• Diversos (cebola, alho entre outros) teve baixa de 5,95%; e
• Pescados (baixa de 1,17%).

Antes de ir à feira, confira as três listas com variação de preço de acordo com o índice Ceagesp. Lembrando que os valores expostos são de compras no atacado.

Preço em baixa

Frutas

Banana nanica - de R$ 2,08 a R$ 2,60 o kg no atacado;
Banana prata - de R$ 2,31 a R$ 3,57 o kg no atacado ;
Coco verde - de R$ 1,50 a R$ 1,70 a unidade no atacado;
Laranja seleta - de R$ 1,70 a R$ 2,50 o kg no atacado;
Limão Taiti - de R$ 2,04 a R$ 3,09 o kg no atacado;
Manga Palmer - de R$ 1,63 a R$ 2,64 o kg no atacado ;
Manga Tommy - de R$ 1,79 a R$ 2,82 o kg no atacado; e
Melancia - de R$ 0,91 a R$ 1,52 o kg no atacado.

Legumes, verduras e hortaliças

Acelga - de R$ 9,17 a R$ 16,87 a caixa no atacado;
Alface americana - de R$ 11,45 a R$ 18,31 a caixa no atacado;
Alface crespa - de R$ 10,79 a R$ 25 a caixa no atacado;
Alface lisa - de R$ 12,53 a R$ 23,41 a caixa no atacado;
Batata Asterix - de R$ 1,92 a R$ 2,26 o kg no atacado
Batata doce rosada - preço do kg varia de R$ 1,61 a R$ 2,74 no atacado;
Batata lavada - de R$ 1,21 a R$ 2,69 o kg no atacado;
• Beterraba - custo do quilo no atacado varia de R$ 1,32 a R$ 2,33;
Cebola nacional - de R$ 0,99 a R$ 1,59 a caixa no atacado;
Cebolinha - de R$ 3,79 a R$ 5,84 o maço no atacado;
Cenoura - de R$ 1,24 a R$ 2,12 o kg no atacado;
Chuchu - de R$ 0,92 a R$ 1,18 o kg no atacado;;
Coentro - de R$ 22,61 a R$ 31,93 a dúzia no atacado;
Couve-flor - de R$ 12,77 a R$ 22,48, a caixa no atacado;
Hortelã - de R$ 3,08 a R$ 4,10 o maço no atacado;
Inhame - de R$ 1,45 a R$ 2,51 o kg no atacado;;
Nabo - de R$ 6,05 a R$ 12,34 o maço no atacado;
Pepino comum - de R$ 1,84 a R$ 2,73 o kg no atacado; ;
Rabanete - de R$ 13,55 a R$ 20,76 o maço no atacado; e
Salsa - de R$ 4,78 a R$ 6,97 o maço no atacado;

Preço estável

Frutas

Abacaxi pérola - de R$ 3,21 a R$ 4,87 a unidade no atacado;
Atemoia - de R$ 6,45 a R$ 11,62 o kg no atacado;
Fruta-do-conde - de R$ 4,53 a R$ 9,21 o kg no atacado;
Goiaba branca - de R$ 3,16 a R$ 6,30 o kg no atacado;
Laranja lima - de R$ 1,68 a R$ 2,59 o kg no atacado;
Laranja pera - de R$ 1,76 a R$ 2,76 o kg no atacado;
Mamão formosa - de R$ 2,66 a R$ 3,54 o kg no atacado;
Maracujá azedo - de R$ 2,84 a R$ 4,03 o kg no atacado;
Melão amarelo - de R$ 2,37 a R$ 3,23 o kg no atacado; e
Tangerina poncam - de R$ 2,40 a R$ 4,06 o kg no atacado.

Legumes, verduras e hortaliças

Abóbora japonesa - de R$ 1,82 a R$ 2,18 o kg no atacado;
Abóbora moranga - de R$ 1,52 a R$ 1,96 o kg no atacado;
Agrião - de R$ 20,72 a R$ 31,55 a caixa no atacado;
Alho nacional - de R$ 13,97 a R$ 18,33 o kg no atacado;
Batata escovada - de R$ 2,14 a R$ 2,89 o kg no atacado;
Cara - de R$ 1,77 a R$ 2,64 o kg no atacado;
Espinafre - de R$ 12,77 a R$ 22,77 a caixa no atacado;
Mandioca - de R$ 1,47 a R$ 2,38 o kg no atacado;
Mandioquinha - de R$ 2,86 a R$ 5,37 o kg no atacado;
Repolho verde - de R$ 30,04 a R$ 35,04 a caixa no atacado; e
Tomate Carmem - de R$ 7,6 a R$ 9,5 o kg no atacado;.

Preço em alta

Frutas

Abacate fortuna - de R$ 4,18 a R$ 5,85 o kg no atacado;
Caju - de R$ 12,97 a R$ 19,21 o kg no atacado;
Figo roxo - de R$ 15,30 a R$ 21,75 o kg no atacado;
Maçã gala - de R$ 4,07 a R$ 5,35 o kg no atacado;
Maçã importada - de R$ 6,27 a R$ 8,26 o kg no atacado;
Pera importada - de R$ 5,44 a R$ 13,55 o kg no atacado; e
Uva niágara - de R$ 5,32 a R$ 8,37 o kg no atacado.

Legumes, verduras e hortaliças

Abóbora paulista - de R$ 3,61 a R$ 4 o kg no atacado;
Abóbora seca - de R$ 3,60 a R$ 4 o kg no atacado;
Abobrinha brasileira - de R$ 4,49 a R$ 7,44 o kg no atacado;
Abobrinha italiana - de R$ 3,79 a R$ 6,26 o kg no atacado;
Brócolis comum - de R$ 39,43 a R$ 48,35 a dúzia no atacado ;
Cebola roxa - de R$ 2,07 a R$ 2,96 o kg no atacado;
Cenoura c/ folha - de R$ 23,82 a R$ 37,41 a caixa no atacado;
Ervilha torta - de R$ 12,47 a R$ 19,87 a caixa no atacado;
Manjericão - de R$ 8,31 a R$ 11,13 o maço no atacado;
Milho verde - de R$ 1,70 a R$ 4,27 o kg no atacado;
Ovos - de R$ 13,44 a R$ 149,42 a caixa/bandeja no atacado;
Pepino japonês - de R$ 4,99 a R$ 7,96 o kg no atacado;
Pimentão amarelo - de R$ 9,49 a R$ 14,21 o kg no atacado;
Pimentão verde - de R$ 3,14 a R$ 6,57 o kg no atacado
Pimentão vermelho - de R$ 6,23 a R$ 11,64 o kg no atacado;
Quiabo liso - de R$ 6,34 a R$ 10,03 o kg no atacado;
Repolho roxo - de R$ 36,99 a R$ 41,99 a caixa no atacado;
Salsão - de R$ 22,26 a R$ 32,09 a dúzia de maço no atacado;
Tomate italiano - de R$ 2,20 a R$ 4,13 o kg no atacado; e
Vagem macarrão - de R$ 9,7 a R$ 16,16 o kg no atacado.

Comprar frutas e legumes da época gera economia de 15% na feira

André Braz, coordenador do IPC (Índice de Preços ao Consumidor) do FGV-IBRE (Instituto Brasileiro de Economia), a pratica de comprar e consumir legumes, verduras e frutas da época da safra pode gerar uma economia de até 15% na feira.

Ele ressalta a vantagem que o clima tropical do Brasil traz para a mesa do consumidor, já que nem todos os períodos de baixa temporada são coincidentes.

Enquanto falta um produto, outro tem uma oferta maior. Isso facilita um pouco a gestão do orçamento, porque, se a gente der preferência para os alimentos que estão na safra, consegue alcançar esta economia.

André Braz

O economista orienta o consumidor a fazer um inventário de tudo o que tem na geladeira e no armário para não fazer compras desnecessárias e evitar o desperdício.

"Muitas famílias compram demais e acabam jogando comida fora. É o mesmo que rasgar o dinheiro e colocar no lixo", lamenta Braz.

Índice Ceagesp sobe 11,2% em julho

O índice de preços da Ceagesp encerrou o mês de julho em forte elevação, mas manteve, no acumulado do ano, queda de 8,4%. O indicador subiu 11,2%, com os efeitos das fortes geadas no mês, que abrangeram desde os estados do Sul e do Sudeste, até parte do Centro-Oeste.

O clima frio prejudicou lavouras inteiras, diminuiu a qualidade dos produtos e gerou altas de preços, de acordo com nota da Ceagesp.

No mês, houve redução de preços nos setores de pescados e diversos, com destaque para os baixos preços da cebola, das batatas e do alho.

Os aumentos de preços ocorreram fortemente nos setores de frutas, verduras e legumes, notadamente para este último, que vinha de uma sequência de quatro meses de queda no ano.

Mesmo com as fortes altas, o setor de frutas acumula, no ano, baixa de 21,6% e o setor de diversos acumula queda de 19,2%.

Os principais aumentos ocorreram nos preços das seguintes frutas:

•    Acerola (22,9%);
•    Banana nanica (28,1%);
•    Caju (36,9%);
•    Figo (25,4%); e
•    Mamão formosa (29,6%).

As principais quedas foram nos preços:

• Carambola (8,1%);
• Coco verde (9,0%);
• Jaca (9,1%);
• Mamão Havaí (7,8%); e
• Maracujá azedo (6,6%).

O setor de legumes apresentou expressiva alta de 41,36%. As principais altas ocorreram com:

• Abobrinha brasileira (89,5%);
• Abobrinha italiana (156,4%);
• Pimentão amarelo (92,2%);
• Pimentão verde (108,1%);
• Pimentão vermelho (92,9%); e
• Vagem macarrão (75,8%).

A única baixa da pesquisa foi registrada no preço da abóbora moranga (0,4%).

O setor de verduras registrou forte alta de 13,88%. As maiores elevações foram nos preços dos seguintes itens:

• Alface crespa (39,8%);
• Alface lisa (39,9%);
• Alfaces americana (48,7%);
• Manjericão (35,1%);
• Nabo (25,6%); e
• Repolho (27,5%).

As principais quedas ficaram por conta:

• Cenoura com folhas (11,3%);
• Moyashi (5,4%);
• Rabanete (28,6%);
• Rúcula (9,3%); e
• Salsão (17,1%);

O setor de diversos fechou o mês com forte queda de 5,95%. As principais baixas ficaram por conta:

• Alho (14,4%);
• Alho estrangeiro argentino (5,2%).
• Batatas asterix (9,2%);
• Cebola (25,0%); e
• Lavada (8,7%).

As principais altas ocorreram nos preços:

• Coco seco (4,4%;) e
• Milho de pipoca estrangeiro (1,3%).

O setor de pescados apresentou baixa de 1,17%. As principais quedas ocorreram nos preços dos seguintes itens:

• Abrótea (20,5%);
• Anchova (24,0%);
• Corvina (12,7%);
• Curimbatá de cativeiro (11,7%); e
• Pescada (20,3%).

As principais altas foram registradas :

• Cação congelado (7,5%);
• Lula congelada (8,0%);
• Robalo (8,5%);
• Sardinha congelada (36,4%); e
• Tainha (7,1%).

Veja dicas para economizar no supermercado em meio à pandemia

Últimas