Economize Gustavo Cerbasi: casais só têm a ganhar ao planejar finanças juntos

Gustavo Cerbasi: casais só têm a ganhar ao planejar finanças juntos

Consultor e autor do livro 'Casais inteligentes enriquecem juntos' dá dicas sobre como planejar os investimentos da vida a dois

  • Economize | Márcia Rodrigues, do R7

Cerbasi: 'cuidar das finanças juntos também fortalece o relacionamento do casal'

Cerbasi: 'cuidar das finanças juntos também fortalece o relacionamento do casal'

Freepik

Casais que unem forças para planejar a vida financeira têm mais chances de obter êxito nas finanças e na vida a dois. A afirmação é de Gustavo Cerbasi, consultor financeiro e escritor de livros como “Casais inteligentes enriquecem juntos” que, inclusive, inspirou o filme "Até que a sorte nos separe".

Para Cerbasi, mesmo que as contas correntes ou de investimentos sejam separadas, afinal, ambos trabalham e precisam organizar sua rotina, as corretoras estão cada vez mais optando por contas individuais, é preciso ter um planejamento conjunto.

Planejar as finanças juntos não significa dividir as contas da casa meio a meio, mas sim definir o que o casal quer conquistar ao longo da vida, quanto direcionará de esforços financeiros para realizar os sonhos individuais e juntos.

Gustavo Cerbasi

O escritor afirma que o planejamento deve ser minucioso, ou seja, ele deve estabelecer metas e calcular o quanto cada um precisará investir para que seus sonhos aconteçam.

“A tendência é de que o planejamento financeiro fortaleça o relacionamento do casal porque os dois se conhecerão melhor, entenderão o tamanho do sacrifício que cada está disposto a fazer para conquistar os próprios sonhos, os do outro e o da família. Afinal, os três devem ser considerados no planejamento.”

Para o especialista, é fundamental ter bem definido os três sonhos para um não atropelar o outro.

“Algumas famílias projetam apenas os sonhos de família: ‘quando vamos nos aposentar’, ‘quando nós teremos filhos’. Esse comportamento tende a matar a individualidade de cada um e afetar o relacionamento.”

O contrário também acontece e não é positivo para os casais, de acordo com Cerbasi.

“Quando casal é muito moderninho, cada um tem o seu dinheiro e não tem esta conversa sobre o nós, pode ser que individualmente eles são bem sucedidos, mas, em algum momento sentirão falta da força familiar ou vão perceber que existe um rico e um pobre vivendo sob o mesmo teto. E isso tende a acabar com o relacionamento também.”

É aí que entra o planejamento financeiro a dois: para equilibrar o relacionamento e trazer a harmonia para o casal.

“É mais fácil para organizar as finanças, duas cabeças pensam melhor do que uma, a concentração de mais capital proporciona o acesso a investimentos melhores... tudo isso fará com que o casal tenha maior eficiência na conquista da riqueza, além do fortalecimento do relacionamento.”

Últimas