Economize Imóveis em leilão custam até 40% mais barato. Confira 752 ofertas

Imóveis em leilão custam até 40% mais barato. Confira 752 ofertas

Quatro empresas que atuam no segmento estarão realizando vários pregões nos próximos dias. Especialistas dão dicas sobre quais cuidados tomar

  • Economize | Márcia Rodrigues, do R7

Leilões oferecem imóveis com até 40% de desconto

Leilões oferecem imóveis com até 40% de desconto

Pixabay

Arrematar um imóvel em leilão pode ser uma opção mais barata para quem quer realizar o sonho da casa própria. Segundo especialistas, nos pregões os empreendimentos são ofertados com até 40% de desconto.

Quatro empresas do segmento estão com pregões abertos nos próximos dias. Ao todo estão disponíveis para arremate 752 empreendimentos entre residências, salas e estabelecimentos comerciais e terrenos.

Leia também: Mansão de R$ 78 milhões de Edemar Cid Ferreira vai a novo leilão

Em todos é possível dar o lance de forma presencial ou virtual. É preciso fazer o cadastro prévio. 

A Zukerman tem 410 imóveis – residenciais, comerciais e terrenos –  de 22 estados em leilões que promoverá no período de 18 a 29 de fevereiro.

Os lances vão de R$ 6 mil (para um empreendimento em Lavras da Mangabeira, no CE) a R$ 38,7 milhões (para um imóvel em Mogi das Cruzes -SP). Mais informações sobre lances e funcionamento do leilão  no site da companhia.

Outra empresa, a Sold Leilões está com 300 imóveis residenciais e comerciais dos bancos Santander e Itaú Unibanco para serem arrematados. Os empreendimentos são de 11 estados. Serão realizados três pregões: 20 e 28 de fevereiro e 6 de março.

O imóvel mais barato, com lance inicial de R$ 40 mil, tem uma área total de 375 m² e fica em São Félix do Coribe, na Bahia (BA). O mais caro, com valor venal de R$ 13.755.000, fica em um prédio no Morro do Castro, em Niterói (RJ), e tem 11026.26 m² de área total. Mais informações no site da Sold Leilões.

A Mega Leilões iniciou na segunda-feira (17) o arremate de 20 imóveis do Bradesco localizados em diversas regiões do Brasil. Desse total, sobraram 10 unidades para serem comercializadas nesta terça-feira (18). Os lances vão de R$ 17 mil a R$ 832 mil. O banco permite o parcelamento do arremate para a maioria dos imóveis.

É possível dar uma entrada a partir de 25% do valor e parcelar o restante em até 12 vezes sem juros e sem correção ou em até em 48 vezes com juros e correção.

Quem optar pela compra à vista terá 10% de desconto. Para saber mais, leilão basta acessar o site da companhia.

A Frazão Leilões inicia, no próximo dia 19, um leilão para vender 32 imóveis do Itaú Unibanco. Os lances iniciais vão de R$ 38.200 a R$ 1.681.400. Assim como o Bradesco, o banco oferece 10% de desconto para pagamentos à vista.

Os lotes estão localizados em cinco estados: Bahia, Goiás, Minas Gerais, Rio de Janeiro e São Paulo, que concentra o maior número de imóveis. O preço médio dos imóveis é de R$ 369.371

Os interessados podem acessar o site da Fazão Leilões.

Compra compensa, mas exige cuidados

A compra de um imóvel em leilão pode ser vantajosa, mas exige uma série de cuidados, segundo os especialistas ouvidos pelo R7. Confira algumas dicas que podem auxiliar no processo.

A primeira dica é ler com atenção o edital de venda. Esse documento traz informações sobre tamanho, valor e localização do imóvel, além de dados sobre a possibilidade de ele ser parcialmente financiado ou não.

O edital também informa se o imóvel está desocupado ou não.

“Caso ainda exista algum morador no local, o comprador precisa saber que será sua responsabilidade removê-lo de lá. Vale avaliar, inclusive, a oferta de uma quantia em dinheiro para a pessoa sair do local amigavelmente, antes de se ingressar com uma ação. E isso tem um custo. Coloque tudo no papel antes de dar o lance”, sugere Berthe.

Se o empreendimento estiver desocupado, o advogado sugere que o interessado agende uma visita ao local com a empresa de leilão.

No caso de o antigo proprietário ainda morar no local, o comprador pode solicitar ao síndico uma visita em um imóvel similar no mesmo condomínio.

Depois de visitar o local e os arredores, o próximo passo é buscar informações sobre o valor de mercado da propriedade em imobiliárias que atuam na região ou em plataformas digitais que fazem esse cálculo.

“Veja se o imóvel tem dívidas com IPTU, taxa de lixo etc. Se for um apartamento, verifique ainda se não existe dívida com condomínio”, diz Berthe.

Caso o imóvel esteja alugado, o advogado Bence Pál Deák afirma que o comprador deve ter em mente que o contrato vai continuar até o fim. “É preciso ter a consciência de que o imóvel não estará disponível, mas você terá o rendimento da locação por um período.”

Deák também aconselha o interessado a fazer uma pesquisa sobre as restrições de zoneamento e a localização para conseguir uma avaliação mais certa do valor de mercado do empreendimento.

E ainda ressalta que o interessado em comprar um imóvel por leilão não deve ter pressa para entrar nele. “Se estiver ocupado, o processo pode demorar, ainda mais quando envolve ação na justiça.”

Últimas