Imóveis em leilão custam até 40% mais barato. Confira 752 ofertas

Quatro empresas que atuam no segmento estarão realizando vários pregões nos próximos dias. Especialistas dão dicas sobre quais cuidados tomar

Leilões oferecem imóveis com até 40% de desconto

Leilões oferecem imóveis com até 40% de desconto

Pixabay

Arrematar um imóvel em leilão pode ser uma opção mais barata para quem quer realizar o sonho da casa própria. Segundo especialistas, nos pregões os empreendimentos são ofertados com até 40% de desconto.

Quatro empresas do segmento estão com pregões abertos nos próximos dias. Ao todo estão disponíveis para arremate 752 empreendimentos entre residências, salas e estabelecimentos comerciais e terrenos.

Leia também: Mansão de R$ 78 milhões de Edemar Cid Ferreira vai a novo leilão

Em todos é possível dar o lance de forma presencial ou virtual. É preciso fazer o cadastro prévio. 

A Zukerman tem 410 imóveis – residenciais, comerciais e terrenos –  de 22 estados em leilões que promoverá no período de 18 a 29 de fevereiro.

Os lances vão de R$ 6 mil (para um empreendimento em Lavras da Mangabeira, no CE) a R$ 38,7 milhões (para um imóvel em Mogi das Cruzes -SP). Mais informações sobre lances e funcionamento do leilão  no site da companhia.

Outra empresa, a Sold Leilões está com 300 imóveis residenciais e comerciais dos bancos Santander e Itaú Unibanco para serem arrematados. Os empreendimentos são de 11 estados. Serão realizados três pregões: 20 e 28 de fevereiro e 6 de março.

O imóvel mais barato, com lance inicial de R$ 40 mil, tem uma área total de 375 m² e fica em São Félix do Coribe, na Bahia (BA). O mais caro, com valor venal de R$ 13.755.000, fica em um prédio no Morro do Castro, em Niterói (RJ), e tem 11026.26 m² de área total. Mais informações no site da Sold Leilões.

A Mega Leilões iniciou na segunda-feira (17) o arremate de 20 imóveis do Bradesco localizados em diversas regiões do Brasil. Desse total, sobraram 10 unidades para serem comercializadas nesta terça-feira (18). Os lances vão de R$ 17 mil a R$ 832 mil. O banco permite o parcelamento do arremate para a maioria dos imóveis.

É possível dar uma entrada a partir de 25% do valor e parcelar o restante em até 12 vezes sem juros e sem correção ou em até em 48 vezes com juros e correção.

Quem optar pela compra à vista terá 10% de desconto. Para saber mais, leilão basta acessar o site da companhia.

A Frazão Leilões inicia, no próximo dia 19, um leilão para vender 32 imóveis do Itaú Unibanco. Os lances iniciais vão de R$ 38.200 a R$ 1.681.400. Assim como o Bradesco, o banco oferece 10% de desconto para pagamentos à vista.

Os lotes estão localizados em cinco estados: Bahia, Goiás, Minas Gerais, Rio de Janeiro e São Paulo, que concentra o maior número de imóveis. O preço médio dos imóveis é de R$ 369.371

Os interessados podem acessar o site da Fazão Leilões.

Compra compensa, mas exige cuidados

A compra de um imóvel em leilão pode ser vantajosa, mas exige uma série de cuidados, segundo os especialistas ouvidos pelo R7. Confira algumas dicas que podem auxiliar no processo.

A primeira dica é ler com atenção o edital de venda. Esse documento traz informações sobre tamanho, valor e localização do imóvel, além de dados sobre a possibilidade de ele ser parcialmente financiado ou não.

O edital também informa se o imóvel está desocupado ou não.

“Caso ainda exista algum morador no local, o comprador precisa saber que será sua responsabilidade removê-lo de lá. Vale avaliar, inclusive, a oferta de uma quantia em dinheiro para a pessoa sair do local amigavelmente, antes de se ingressar com uma ação. E isso tem um custo. Coloque tudo no papel antes de dar o lance”, sugere Berthe.

Se o empreendimento estiver desocupado, o advogado sugere que o interessado agende uma visita ao local com a empresa de leilão.

No caso de o antigo proprietário ainda morar no local, o comprador pode solicitar ao síndico uma visita em um imóvel similar no mesmo condomínio.

Depois de visitar o local e os arredores, o próximo passo é buscar informações sobre o valor de mercado da propriedade em imobiliárias que atuam na região ou em plataformas digitais que fazem esse cálculo.

“Veja se o imóvel tem dívidas com IPTU, taxa de lixo etc. Se for um apartamento, verifique ainda se não existe dívida com condomínio”, diz Berthe.

Caso o imóvel esteja alugado, o advogado Bence Pál Deák afirma que o comprador deve ter em mente que o contrato vai continuar até o fim. “É preciso ter a consciência de que o imóvel não estará disponível, mas você terá o rendimento da locação por um período.”

Deák também aconselha o interessado a fazer uma pesquisa sobre as restrições de zoneamento e a localização para conseguir uma avaliação mais certa do valor de mercado do empreendimento.

E ainda ressalta que o interessado em comprar um imóvel por leilão não deve ter pressa para entrar nele. “Se estiver ocupado, o processo pode demorar, ainda mais quando envolve ação na justiça.”